• Tire suas dúvidas sobre pedidos, trocas e devoluções.
    Atendimento nos dias úteis das 9h as 18h.
  • Receba dicas de estilo, via Whatsapp, para realizar uma compra personalizada!

sua mochila está vazia

      Tag: espedito seleiro

    • FARM <3 Espedito Seleiro

      No ano passado, fizemos uma ligação que nos tornou a vida mais colorida. Era lá pra Nova Olinda, na região do Cariri. Quem atendia era o Espedito Seleiro, mestre do artesanato que nos deu a criação de uma bolsa linda, a flor do cangaço. O papo rendeu essa entrevista aqui.

      E rendeu mais: lançamos hoje uma coleção de flatforms criadas exclusivamente por ele pra gente. É um projeto que reverbera nossa brasilidade e nossa cultura pra além do imaginado. Dos pés à cabeça. Do sotaque à alma. 

      “O Espedito é um forte representante da estética do sertão e do cangaço, um tema evidente na nova coleção. A parceria foi feita com muito cuidado, respeitando a identidade dele e a nossa. É um presente para nós e uma homenagem à cultura brasileira e à hereditariedade artesanal desse universo. Somos apaixonadas pelo artista Espedito!”, conta Katia Barros, diretora criativa da FARM.

      A parceria trouxe poucas mudanças aos modelos já clássicos criados por ele. Pra anhar manter a identidade tradicional e trazer um perfume levamente moderno, as sandálias vêm em flatform e ganham palmilhas mais largas, entresola de EVA e nossa coloração. 

      Espedito levou o cangaço pra moda, pros pés e pra vida. A felicidade não tá cabendo na gente!
       

       

      04.08.16
    • farm entrevista: espedito seleiro

      bola_expedito

      Parece até história de livro. O Espedito Seleiro nasceu no interior do Nordeste, lá em Arneiroz, sertão do Ceará. Aos oito anos, começou a trabalhar com o pai, vaqueiro e seleiro, que criou um formato de sandália diferente pro Lampião (com sola retangular pra despistar as pegadas) e assim o artesanato foi sendo mais que uma tradição de família. Virou laço de amor, desses que não se cortam, não se desviam, não se dividem. E a gente trouxe um pouco dele pra cá, vem ver:

      expedito_5

      “Quando nasci, meu pai já era seleiro, pois tinha aprendido com o pai dele e o pai dele também tinha aprendido com meu bisavô. Quando ele faleceu, em 1971, trouxe meus irmãos, todos mais novos, pra cá, pra cidade de Nova Olinda, e criamos uma associação familiar. Com meu pai aprendi a fazer roupa pra cigano, cangaceiro, tropeiro, vaqueiro… Ele foi tudo na minha vida. Tenho sangue de seleiro!”

      expedito_4

      Aos 75 anos (com jeito de moço de 18 que ‘começou ontem’, como ele mesmo diz), o Espedito é do tipo que flui fácil na prosa e tem um humor esperto. Talvez por genética, talvez por felicidade, talvez por ter descoberto no trabalho a graça da renovação. A verdade é que ele todo se confunde com a arte que faz e é só amor nas palavras, nas mãos habituadas da selaria, nos movimentos precisos da idade:

      expedito_6

      “Numa época, precisei renovar meu artesanato. Levantei o pensamento em Deus e mudei o estilo do meu trabalho. Passei a trabalhar o colorido, mas com muita dificuldade porque até então nem tinha coloração no couro. Eu fazia as tintas, misturava tudo e ficava diferente do que havia no mercado. As pessoas compraram a ideia!”

      expedito_1

      E assim a identidade foi nascendo. A gente teve a honra de contar com uma criação especial dele pra cá, a bolsa ‘Flor do Cangaço’. Quem fez essa ponte foi a Raíssa, nossa estilista de acessórios que descobriu o trabalho do Espedito há uns dez anos. A criação une a tradição da estética cangaceira com a contemporaneidade. É orgulho só!

      expedito_7

      “A arte é uma ciência oculta. Só Deus e a gente é que sabe. Quando a gente nasce, já nasce sabendo de muitas coisas, e quando se nasce com aquilo que gosta, aí é só treinar e praticar que tudo vai desenrolando. Se você pensar bem e souber traduzir as palavras, é uma poesia. É um causo bem contado. Quando criei a bolsa pra FARM, coloquei meu rastro nela, minha história. Esse é um capricho meu. Ser o que a gente é!”.

      expedito_10

      O modelo virou nosso xodó (todo regional e com traços da feminilidade brasileira) e tá em edição limitada no e-FARM (clica aqui pra conferir!). A vontade é estender a parceira com o mestre pra mais tantas coleções daqui pra frente. Aliás, recentemente, a arte primorosa e a riqueza das cores dele também chamaram a atenção dos irmãos Campana, ícones do design, e os três fizeram um projeto bem bacana juntos:

      expedito_2

      “Foi uma parceria legal. Assim mostro meu trabalho por aí e o trabalho deles aparece aqui, onde eu estou. Se eles estivessem pertinho de mim todos os dias e vocês também, dava era pra gente fazer muito mais. Mas, olha, eu gosto do Rio de Janeiro. Se fosse pra escolher um lugar pra passear vendo coisa diferente na vida, eu ia escolher o Rio!”.

      expedito_9

      Casado há 56 anos, apaixonado pela mulher, pelos seis filhos já criados, pela profissão… Quem ouve ele contar sobre o mundo com a sabedoria de quem já consagrou histórias e com o encantamento de um adolescente, se emociona: “O artesanato ensina… É tudo feito à mão. Quanto mais demoro numa peça, mais gosto de fazê-la. É uma coisa do gosto da gente, que vem do coração, de dentro. Se pudesse, tinha guardadas todas as peças que já fiz. Nunca canso. Vou teimando com as qualidades, teimando com o tempo, fazendo a festa até o dia que Deus quiser”.

      expedito_8

      E se é pra teimar, que seja no amor e na de todo dia. Trocar arte e vida com o mestre Espedito é motivo de gratidão ao universo. Vale pesquisar por aí pra saber ainda mais sobre ele e se encantar, assim como a gente! ♥

      24.04.15