• Tire suas dúvidas sobre pedidos, trocas e devoluções.
    Atendimento nos dias úteis das 9h as 18h.
  • Receba dicas de estilo, via Whatsapp, para realizar uma compra personalizada!

sua mochila está vazia

    hoje no adoro

    • Novidadinhas de carnaval

      Falta pouco menos de um mês e a gente já tá na contagem regressiva pro Carnaval desse ano! Mas enquanto a folia oficial não chega, que tal curtir os blocos do esquenta?

      Daqui até a o início oficial do carna, nosso tradicional novidadinhas – em conjunto com o pessoal do segue o bloco vai te dar dicas pré-carnavalescas pra vocês não perderem o que tá rolando de melhor!

      São Paulo

      Bloco Domingo Ela Não Vai, em SP

      16/02

      14h Bloco da Muda – Armazém da cidade
      O bloco tem o repertorio formado por sambas e marchinhas carnavalescas tradicionais

      15h Pré-carnaval – Grupo Maracatu Bloco de Pedra – Alves Guimarães 1511
      Utiliza os instrumentos tradicionais como alfaias, agbês, caixas de guerra, gonguês, entre outros, além de indumentárias como as grandes saias rodadas e o estandarte.
      Sua percussão vigorosa é inspirada em três das tradicionais nações de maracatu a Nação Estrela Brilhante de Recife, Estrela Brilhante de Igarassu e a Nação Porto Rico

      20h Pré-Carnaval Tropsicodélico – Estrella Galicia Estação Rio Verde
      O Pré-Carnaval Tropsicodélico vai juntar o Unidos do Swing com a banda Big Pacha para um groove cheio de swing, funk e jazz para animar o período de pré-Carnava

      22h Sabe De Nada Inocente – Pré-Carnaval – Audio
      O bordão do Compadre Washington vira nome de bloquinho e faz muita folia no Carnaval. O Bloco Sabe de Nada Inocente faz festa com É O Tchan em São Paulo, já em aquecimento para o feriado mais agitado do ano

      23h Ensaio do Bloco Casa Comigo | É Carnaval! – Casa Natura
      O Casamento de Carnaval mais animado de São Paulo faz uma viagem pelas velhas marchinhas de rua, passando por  versões carnavalescas de canções de amor como “I just call”, “Pensa em Mim” e “Pelados em Santos”. O bloco conta com uma bateria enérgica e bem humorada, trazendo alegria, purpurina e muito amor em suas apresentações.  

      17/02

      16h Pré-Carnaval Domingo Ela Não Vai – O 170
      Você quer muito axé misturado com pagode dos anos 90, @? Pois todo domingo ela vai, sim, nas festas do Bloco Domingo Ela Não Vai. Com participação do Bloco Lua Vai, a festa vai animar os domingos pré-carnavalescos no Espaço 170.

      16h Esquenta do fabuloso bloco Amélie Pulando – Traço de União  
      Tocando música francesa misturada com marchinhas, além de faixas baianas cantadas em francês, o bloco franco-brasileiro vai colocar todo mundo pra pular.

      16h Bloco Jegue Elétrico – Nossacasa
      Bloco tem repertório autoral com marchinhas que falam sobre atualidades sempre politizados e  com bom humor.

      16h 30 Bloco Beatles para Crianças | É Carnaval! – Casa Natura Musical
      Já sucesso nos bailinhos e blocos de rua de todo o Brasil, desde 2016 o projeto Beatles Para Crianças criou o seu Bloco de Carnaval. A mesma farra e a mesma empolgação dos seus shows, a banda apresenta as canções do quarteto de Liverpool em ritmos carnavalescos, como samba, marcha rancho, maracatu, ciranda e muito mais.

      Rio de Janeiro

      Bloco Tambores de Olokun

      16/02

      8h Bloco Chá da Alice – Av. Lucio Costa, 3300
      O bloco toca os maiores hinos da comunidade queer! Vai colocar todo mundo pra seguir o trio deixando uma trilha de puspurina, plumas e confetes pela barra.

      9h Desfile do Bloco Desliga da Justiça – Baixo Gávea
      Pode tirar aquela fantasia de super-herói e vilão do armário que Desliga vai sair. Tocando desde os enredos famosos à músicas atuais o Desliga tira coloca todos os personagens para dançar.

      10h GBzinho – General Glicério – Laranjeiras
      Esse bloco é para a criançada! Já virou tradição no Rio levar o filho para curtir o GBzinho e depois ficar para curtir o GB que começa às 13h com muito samba tradicional das Escolas de Samba.

      21h Cortejo do Diga Não a Monogamia
      Aquele bloco não oficial que todo mundo ama. Para a galera do poliamor e que prega o respeito a todas as formas de amar

      17/02

      9h Desfile do Bloco Vira Lata – Orla de São Conrado
      O bloco vai colocar todo mundo para correr atras do trio ao som daquele axé saudoso

      9h Desfile do Volta, Alice – Rua Alice
      Um dos blocos mais tradicionais do Rio sobe a ladeira da Rua Alice tocando muito samba enredo e marchinhas.  Neste ano o bloco traz o  samba-enredo “Todo Mundo Peladão”.

      10h Desfile do Bloco me Esquece – Jardim Botânico
      Quem não conhece o me esquece não conhece o carnaval. O bloco vai colorir a Jardim Botânico de verde e branco no jeito mais tradicional de fazer carnaval. .

      14h Desfile do Bloco Chinelo de Dedo – Rua do Mercado
      O bloco se organiza no centro com aquela bateria tradicional de escola de samba

      16h Tambores de Olokun – Igreja Nossa Senhora do Rosário
      O batuque mais tradicional de domingo. O bloco coloca a gente para rodar com ritmos de matriz africana

      Belo Horizonte

      A nossa amada Cidoca vai abrir seus jardins pra receber uma pop up nossa especial de Carnaval! Aproveita pra conhecer a nossa coleção de fantasias e de acessórios pra você se jogar no carna!

      Segue a programação:

      15/02 – das 14h às 20h
      16/02 – das 10h às 19h
      17/02 das 12h ás 19h

      Rua Carlos Gomes, 40 – Santo Anônio.

      Bora?

      14.02.19
    • FARM seleciona


      Mais uma semana começando com tudo, pessoal! Pra quem tá em busca de um trabalho bacana, a gente tem duas vagas abertas pra galera de Campinas e Teresina.

      Se encaixa no perfil? Corre pra mandar seu currículo!

      VAGA DE GERENTE EM CAMPINAS

      – Residir em CAMPINAS
      – Ser antenada com moda
      – Experiência na área de gestão de pessoas 
      – Trabalho em equipe
      – Gestão de metas e resultados
      – Comunicativa
      – Experiência com varejo 
      – Foco em prospecção de clientes

      PARA TRABALHAR EM CAMPINAS/SP 🍃

      Encaminhar o currículo para alessandra.braga@somagrupo.com.br ASSUNTO: GERENTE DE LOJA CAMPINAS

      VAGA DE GERENTE PRA TERESINA

      – Residir em TERESINA
      – Ser antenada com moda
      – Experiência na área de gestão de pessoas 
      – Trabalho em equipe
      – Gestão de metas e resultados
      – Comunicativa
      – Experiência com varejo 
      – Foco em prospecção de clientes

       PARA TRABALHAR EM  TERESINA/PI 🍃

      Encaminhar o currículo para alessandra.braga@somagrupo.com.br ASSUNTO: GERENTE DE LOJA TERESINA

      11.02.19
    • FARM entrevista: José Camarano

      Sabe aquele papo de que às vezes a gente precisa dar um passo pra trás pra poder dar dois pra frente?

      José Camarano – produtor de moda do lookbook de abre asas e do desfile da nossa convenção – percebeu que estava imerso numa vida de excessos e, por vontade própria, notou que precisava dar um passo pra trás. Mas se engana quem achou que o resultado seriam “mais passos pra frente”. Camarano agora prefere mesmo é dar passos largos e de qualidade.

      Vem ver a nossa entrevista com esse cara incrível que tem muito a ensinar pra todos nós!

      Como se deu essa mudança de estilo de vida?

      Eu diminuí tudo na minha vida. Consumo, noite, as aventuras. Troquei as aventuras da noite pelo esporte radical. Mas essa mudança foi muito gradual. Começou há uns 6 anos, quando eu me questionei sobre as coisas que me faziam feliz na vida. Eu fui percebendo que elas nao estavam nas coisas! Estavam nas situações, nas pessoas, no afeto, nas experiências…
      Quando eu mudei pra Nova Iorque, me deu muita saudade do Brasil e do calor humano que a gente tem aqui, do contato com a natureza… e aí eu resolvi fazer um retiro no Havaí, passei 6 meses por lá trabalhando numa fazenda, entrando em contato com outro tipo de pessoas e de energia.

      E como você trouxe essa mudança de vida pro lado profissional?

      Eu aprendi que dava pra continuar trabalhando com moda, simplesmente coloquei um pouco mais de propósito no que eu faço e entendi que não precisava ver as roupas como uma tendência que simplesmente passa pela vida das pessoas. Entendi que a moda tem história pra contar, tem afeto, estilo de vida. Foi aí que eu reencontrei o meu lugar.
      Hoje em dia as matérias que eu faço, as coisas que eu falo… elas tem muito mais a ver com o significado daquilo que com a peça de roupa.
      Eu passei a fazer poucos projetos, mas trabalho mais intensamente em cada um deles ao invés de fazer um monte de coisas ao mesmo tempo. Parei de pegar todos os trabalhos que apareciam, aprendi a falar não. Aprendi a direcionar mais o meu trabalho pro que eu quero ao invés de fazer o que o mercado tava me oferecendo. Eu inventei uma nova maneira pra eu trabalhar.

      E como é a sua história com a FARM?

      Eu tenho uma história muito antiga com a marca. Eu era produtor executivo da Babilônia Feira Hyper quando a Katia (Barros, diretora criativa da FARM) e o Marcello (Bastos, sócio-fundador da FARM) começaram com o estande. Acompanhei o primeiro estande, as filas na porta pra entrar… eu gostava muito da Katia e do Marcello mas nunca fui conectado com o lifestyle da marca, justamente porque eu vivia acelerado, muito mais na noite e interessado com o que rolava fora do Brasil. Eu queria trazer tudo de fora do Brasil pra cá, funcionava como uma antena do que estava rolando no mundo pra cá. Quando eu fui morar fora, tive esse estalo do quão rico o Brasil é, e como a gente tem que se valorizar mais. E a valorização do produto nacional me aproximou da FARM!
      Quando voltei pro Brasil, fui aos poucos me reconectando com a FARM através do consumo consciente, do lifestyle do dia, do sol, do carnaval.
      Hoje, além de produzir o último lookbook e os últimos desfiles, eu estou com um projeto de consultoria para a FARM internacional, ajudando a entrada da marca nos Estados Unidos.

      A coleção abre asas foi totalmente inspirada no carnaval, que é diferente dependendo da região do Brasil. Como trazer isso para o lookbook?

      Olha, foi uma delícia. O desafio maior estava em como traduzir uma fantasia, que é feita pra ser não-duradoura, ser usada no dia a dia.
      Eu tentei mesclar acessórios de carnaval com as roupas que serão usadas no cotidiano, então mesmo os looks apesar de tendo um styling mais pesado, com os acessórios pra deixar a roupa mais lúdica, é fácil de entender como aquela roupa pode ser usada numa ocasião de dia a dia.
      É uma coleção que tem muito o que dizer, estampas que contam a história do carnaval. Além das colabs, claro com olodum, mangueira, bola preta, zé filho.
      Com o styling eu acabei conseguindo mostrar que essa coleção tá cheia de roupas que podem ser usadas no dia a dia, mas também no carnaval!

      Você também fez o styling do desfile da apresentação do carnaval. Qual é a principal diferença entre produzir um lookbook e um desfile?

      No desfile a gente sempre evidencia a fantasia, o lúdico e a emoção, porque as pessoas estão ali olhando… então a gente acaba priorizando o mood em si. Desfile é como se fosse contar uma história, uma fábula. No de abre asas, o desfile abria preto e branco, meio baile de gala… depois ia passando pra um outro terreno; uma estampa mais de rua, de bloco, até chegar na estampa do olodum, que fechou o desfile e deu início a festa. Tem toda uma cadência, quem tá assistindo o desfile vê uma história sendo contada na sua frente do começo ao fim.
      No lookbook os looks não conversam, são isolados. Você vê o personagem ali, uma história contada em uma foto. No desfile os personagens são costurados em uma história inteira.

      Como você vê o “abre asas” da moda atual?

      Eu acho que o mercado da moda tem melhorado muito de um tempo pra cá. A moda tá mais consciente de que o produto tem que ser mais durável, pode ser encaixado em várias etapas da vida. Principalmente no Rio, onde um mesmo vestido pode ser usado pra uma reunião e uma saída á noite.
      Hoje a moda está servindo mais pra gente do que a gente à ela, tá ficando mais entendível, acessível, e, ao mesmo tempo, mais relaxada.
      A moda está mais tranquila, aberta e inclusiva. Quando eu saí do Brasil as coisas estavam de um jeito e quando voltei, estava de uma maneira completamente diferente.
      Aqui na FARM é muito legal poder trabalhar com pessoas que não são modelos, incluindo todas as raças, todos os tipos de pessoas, corpos e sexualidades… tudo isso.
      A moda hoje é um termômetro do que está acontecendo no mundo. A moda antes tinha o poder de provocar desejo nas pessoas e hoje ela escuta o que as pessoas querem, e entrega exatamente o que as pessoas estão precisando.



      08.02.19
    • Lançamento: FARM <3 OLODUM

      fotos: Helen Salomão

      Tem parceria que faz a gente derreter o coração. Essa é uma delas. No ano em que comemoram 40 anos, o Olodum generosamente abriu a casa e o legado pra gente morar junto. Criamos uma coleção lado a lado: das frases às modelagens; das cores à estamparia. E o resultado são peças cheias de história.

      João Jorge, presidente do Olodum

      “Estamos muito felizes. A coleção vai permitir que mais pessoas vistam-se de Olodum nesses 40 anos e que seja assim nos próximos 50, 100!”, conta João Jorge, presidente do Olodum.

      Cristina Rodrigues, ex-presidente do Olodum; primeira presidente mulher de um bloco afro

      A cartela de cor é predominantemente verde, vermelho, amarelo e preto, as cores do pan-africanismo. As simbologias relacionadas ao universo egípcio, trabalhadas em profundidade na musicalidade e nos estudos do bloco afro, fizeram parte da pesquisa para a coleção, além disso, letras de música como “Deusa do Amor”, foram ilustradas nas peças.

      Andreia Reis, percussionista da banda Olodum e primeira mulher maestrina de samba reggae no mundo

      “O carnaval é uma das expressões de cultura mais latentes do nosso país, e é uma paixão nossa. Quando pensamos em ‘Abre Asas’, pensamos também no sonho que seria desenvolver uma parceria com o Olodum por tudo o que o grupo representa em cultura e em reforço de identidade. Eles toparam e construímos tudo juntos, lado a lado: das frases às cores, das estampas às modelagens. Foi uma construção cheia de aprendizados!”, conta Katia Barros, diretora criativa da FARM.

      Às terças-feiras, tem Olodum no Pelourinho. É a terça da benção!

      Parte desses aprendizados poderá ser visto também no mini documentário que gravamos em Salvador e que terá sua primeira exibição na sexta-feira agora, dia 8, no evento de lançamento da coleção, na Escola Olodum, Pelourinho. Foi lá, aliás, que registramos as imagens desse post, assinadas pela Helen Salomão, fotógrafa baiana que somos fãs.

      Alaíde Conceição, a dona Alaíde do Feijão, é uma das personagens do mini documentário, assinado por Edgard Azevedo. Ela é uma das mais conceituadas quituteiras da Bahia.

      “Quando colocamos na coleção ativismos da vida humana, das flores, dos vegetais, da vida como ela é… abrangemos ainda mais gente. A coleção da FARM em parceria com o bloco aproxima o Olodum da juventude e estamos em busca de uma humanidade mais ampla. A coleção apresenta a possibilidade de desigualar para igualar. Aos 40 anos, o Olodum precisa criar coisas novas e inovar. É arriscar e se vestir de uma roupa nova. Essa coleção é uma roupa nova para o Olodum. É ousar e colocar o bloco da estética da rua!”, comenta o presidente.

      Tita Lopes, conselheiro do Olodum

      Jorge Amado já dizia “Olodum é a nova tenda dos milagres”, um combatente da inovação. O Olodum está no coração do Brasil profundo e no berço do Pelourinho, um dos lugares mais potentes da Bahia.

      Obrigada, Olodum, por ter embarcado nesse sonho com a gente. Tem presente melhor do que essa coleção?

      Corre pra garantir aqui e nas lojas!

      05.02.19
    • As caras do lookbook!

      Como já contamos no nosso post de apresentação, Abre asas é uma coleção inteirinha inspirada nas cores, alegrias e nos encantos do carnaval de rua brasileiro.

      Por isso, o lookbook foi pensado pra seguir o mesmo conceito. Além das nossas modelos lindas, tivemos personagens importantes cujas histórias de vida se misturam com a história da folia. Bora conhecer alguns?

      Pedro Amparo

      Pedro Amparo – Músico e diretor musical

      O Pedro é músico e, além de folião, toca em vários blocos do carnaval de rua do rio. Foi na adolescência, como aluno de um projeto social, que começou a estudar música e se apaixonou pelos ritmos populares. A gente convidou o pedro pra criar a trilha sonora dessa campanha e ele trouxe um time de músicos de primeira pra chegar junto no som. Abre asas, pra ele, é realizar sonhos.

      Zé Filho

      Zé Filho – Designer e bailarino

      Zé filho nasceu no Ceará e é apaixonado por brasilidade. Em parceria com a gente, ele criou silks com estampas irreverentes pra qualquer época do ano. pro Zé, “abre asas é olhar. É se sentir parte da história por todos que já foram e por todos que estão por vir”.

      Cris Monteiro

      Cris Monteiro – vendedora

      A Cris foi passista de duas grandes escolas de samba do Rio de Janeiro. Foi durante a folia que ela conheceu o futuro marido, que é mestre-sala, e sempre que pode ela corre pras quadras das escolas pra aproveitar a festa. Pra ela, abre asas é expandir horizontes. É a paz do carnaval em plena avenida.

      Rita Castro

      Rita Castro – coordenadora de eventos e projetos especiais do Olodum

      Essa é a Ritinha, figura querida no Pelourinho e que está há 30 anos no Olodum: “foi ao ouvir o toque do tambor que me apaixonei pelo grupo. Desde então, venho trabalhando com eles pelo resgate da identidade e da história da nossa gente através da responsabilidade social”. Pra ela, abrir asas é gerar oportunidades.

      Pedro Ernesto Marinho – Presidente do Cordão da Bola Preta

      Pedro Ernesto Marinho – Presidente do Cordão da Bola Preta

      O Cordão da Bola Preta é o bloco mais antigo de carnaval de rua do Rio de Janeiro (são cem anos ♥) e o Pedro está há 45 anos por lá. Pra ele, carnaval é respeito, amor e dedicação. É resistência.

      Gracy Mary Moreira –
      bisneta da Tia Ciata e presidente da organização cultural remanescente de Tia Ciata

      Gracy Mary Moreira – bisneta da Tia Ciata e presidente da organização cultural remanescente de Tia Ciata

      A Tia Ciata é símbolo da resistência negra e uma das responsáveis por fazer nascer o samba carioca. Foi durante nossa pesquisa pra homenageá-la que a gente conheceu a Gracy, sua bisneta, que trabalha pelo resgate da memória da Tia Ciata, das tias baianas e da história da pequena áfrica, região da zona portuária do Rio de Janeiro. Pra ela, abre asas é a liberdade de um povo.

      01.02.19
    • 29/01 e a Visibilidade Trans


      O Brasil é o país que mais mata transexuais no mundo. É com essa verdade dolorida que a gente começa esse post, no Dia Nacional da Visibilidade Trans. A data de hoje tem como objetivo chamar atenção da sociedade sobre as violências cotidianas sofridas por pessoas trans, além do local de marginalidade onde infelizmente seguem inseridos.

      Convidamos a Gabi Loran, nossa parceira, pra falar mais sobre esse dia, pela ótica de uma mulher trans. É pra refletir, pra abrir os olhos e a mente da gente.

      “Hoje é 29 de Janeiro!
      Dia da Visibilidade trans. Você sabe qual a importância dessa data? Por que é comemorada hoje? E o que é trans, travesti? Vem cá que vou te explicar tudo isso.

      Bom, gente, fico muito feliz quando se trata de falar sobre a bandeira que carrego, ainda mais sendo hoje um dia tão especial e potente para nós, pessoas trans. Eu sou Gabriela Loran e vou apresentá-los algumas informações sobre o dia de hoje.

      Para começar esse rolê: vamos entender como 29 de Janeiro se tornou o nosso dia? Como foi escolhida a data 29 de Janeiro para o Dia da Visibilidade Trans?

      Tudo começou no dia 29 de Janeiro de 2004, quando 27 travestis, mulheres transexuais e homens trans entraram no Congresso Nacional em Brasília bem rainhas donas de si e empoderadíssimas para lançar a campanha “Travesti e Respeito”, do Departamento de IST, AIDS e Hepatites do Ministério da Saúde. Foi a primeira campanha nacional idealizada e organizada pelas próprias trans. Tá vendo o quão capacitadas nós somos? Só nos falta a oportunidade.

      Mas você pode estar ser perguntando o que é ser uma pessoa trans. Travesti? Homen trans? CALMA!

      Segue abaixo um pequeno glossário onde você podem tirar essas dúvidas

      LGBTI+: Sigla para Lésbicas, Gays, Bissexuais, Trans e Intersexuais.

      Trans: Termo que engloba travestis, transexuais e transgêneros.

      Transfobia: Violência e discriminação contra pessoas trans por conta de sua condição.

      Transgênero: Terminologia usada para descrever quem transita entre os gêneros. São pessoas cuja identidade de gênero transcende as definições convencionais de sexualidade. Segundo Toni Reis, organizador do Manual de Comunicação LGBTI+, o termo transgênero engloba travestis e transexuais.

      Transexual: Aquele que possui uma identidade de gênero diferente do sexo designado no nascimento. As pessoas transexuais podem ser homens ou mulheres, que procuram se adequar à identidade de gênero e, geralmente (não necessariamente), gostariam de fazer a redesignação de sexo. Algumas pessoas trans recorrem a tratamentos médicos, que vão da terapia hormonal à cirurgia de redesignação sexual. São usadas as expressões homem trans e mulher trans.

      Travesti: Poderia ser sinônimo de transexual, mas tem uma ressignificação a partir da luta contra o estigma da associação à prostituição. É a pessoa que nasceu com determinado sexo, ao qual foi atribuído culturalmente o gênero considerado correspondente pela sociedade, mas que passa a se identificar e construir nela mesma o gênero oposto. Em geral (não necessariamente), a pessoa travesti não quer fazer a transgenitalização. A palavra “travesti” adquiriu um teor político de ressignificação de um termo historicamente tido como pejorativo.

      *Termos baseados no Manual de Comunicação LGBTI+ e em consultoria ao organizador Toni Reis, pós-doutor em Educação e ativista em Direitos Humanos.

      E aí amores? Conseguiram entender um pouquinho? Calma que tem mais!Agora vou compartilhar com você um pouco da minha vivência enquanto pessoa trans.

      Eu sou atriz, modelo, DJ, youtuber do Canal Gabriela Loran, palestrante, dançarina, influenciadora e dentre tudo isso eu também sou uma mulher trans. Uma mulher que transcendeu o gênero que foi atribuído a mim no momento em que nasci por um sistema cruel e binário de gênero. Ao longo de toda minha caminhada enquanto pessoa trans, tive  a oportunidade de participar de uma convenção da FARM e sentir o gostinho de começar minha carreira na moda, ocupando um espaço muito importante de destaque. Nós, pessoas trans, estamos constantemente em vulnerabilidade social, econômica e existencial. Por isso é tão importante nos empregar, nos dar a chance de provar que somos capazes. E eu tive essa oportunidade na FARM.

      Logo depois disso finalizei minha graduação em Artes Cênicas e cai no mundo do teatro e das artes! Fiz muitas peças. Uma delas foi “Incômodos”, um espetáculo que falava sobre os incômodos que nós mulheres cis e trans sofremos diariamente apenas por sermos mulheres. Além disso, fui convidada para viver a personagem Priscila na novela teen Malhação Vidas Brasileiras, na Globo. Fui a primeira atriz trans a viver uma personagem trans nessa novela.

      Foi tão importante poder falar sobre a questão trans em rede nacional, pois pude ajudar diversas pessoas a entenderem mais sobre o que é ser trans, e o mais importante: que nós pessoas trans existimos e podemos ocupar um lugar como esse. Porém é necessário sempre querer mais e mais. Estamos conquistando um pequeno espaço mas precisamos de mais!

       Mas para além de ser um data importante, a verdade mensagem que nós queremos passar hoje é um pedido de humanização dos nosso corpos trans e travestis – e nós precisamos muito de vocês, pessoas trans. Sozinhas somos fortes, mas com vocês podemos ser muito mais. Se perguntem quantas pessoas trans você conhece,  quantas pessoas trans já foram na sua casa,  se você empregaria uma pessoa trans. Com essas respostas, você pode ter noção do quão somos invisibilizadas constantemente nessa sociedade que nos mata todos os dias.

      Pra finalizar, gostaria de compartilhar com vocês um poema onde faço analogia do meu corpo trans com os pássaros, que foi construído durante o meu período de transição. Em um momento em que lutava contra a depressão, foi preciso apenas olhar para o céu e ver os pássaros voando.

      Seres Alados

      O céu é o refúgio dos seres alados
      Quem dera eu, um ser alado
      Imensidão azul
      Liberdade sem limites
      Eu e o céu
      O céu e Eu
      Não mais olhares…
      Voar sem olhar para trás…
      Apenas avante
      Não me peça para parar
      Me livrei das minhas correntes
      Do passado só restam as cicatrizes
      Que marcam a minha alma
      Mas… o que o futuro promete?
      É isso, é isso que eu quero!
      Um ser alado agora eu sou Agora eu VOU
      VÔO
      VOAR
      VOAREI…

      Quero dedicar essa postagem e o poema à Quelly da Silva, mulher travesti de 35 anos que foi assassinada brutalmente e teve seu coração arrancado em Campinas por um monstro, com a brutalidade de guardar o órgão arrancado no armário e colocar a imagem de uma santa no lugar do coração. Quelly vive em mim e em todas as vidas trans que são ceifadas diariamente nesse país. Que seja o ano da visibilidade trans, que nosso dia sejam todos os dias!”

      29.01.19
    • FARM ♥ Mangueira parte 2

      Depois de contar todos os detalhes da produção dessa coleção incrível nascida no barracão mangueirense chegou a hora de apresentar o resultado da parceria!

      Na parte mais básica, temos as t-shirts com trechos de sambas-enredo que marcaram história. Quem não se empolga ao ler “Atrás da Verde e Rosa só não vai quem já morreu”?

      A bandeira da agremiação ganhou um super destaque em peças como a o vestido, a saia tranpassada e o kimono.

      Pra quem quer mostrar que é mangueirense e tem samba no pé, rola também uma sandália feita em parceria com a escola!

      A gente aproveita pra lembrar que garantindo os produtos da parceria você colabora com a Estação Primeira de Mangueira, patrimônio do carnaval carioca! Corre pras lojas e pro site pra encontrar os seus desejos!

      28.01.19
    • FARM <3 Mangueira

      “Abre Asas”, nossa nova coleção de inverno, é marcada por parcerias inéditas, uma delas ao lado da Estação Primeira de Mangueira, escola de samba carioca que há quase cem anos emociona foliões do mundo todo. Juntos, trabalhamos no desenvolvimento de uma coleção exclusiva com lançamento marcado pro dia 28.

      Foram dias e dias de encontros entre nossa equipe de estilo com os criativos da verde e rosa.

      “O Rio de Janeiro é o berço de muitas marcas e instituições que promovem para o Brasil e o mundo seu estilo de vida, sua cultura e seus ritmos únicos. A Mangueira e a FARM são exemplos importantes ao culto desse cenário positivo, colorido e criativo”, conta o Bruno Tenório, diretor de marketing da Estação Primeira de Mangueira.

      fotos: Luiza Chataignier e Alexandre Woloch

      Foi no barracão da escola de samba que a coleção nasceu. Lá, o carnavalesco e os criativos da Mangueira se juntaram ao time de estilistas da FARM para pensarem juntos o desenvolvimento das peças. O processo contou com várias etapas: workshop da Mangueira para os estilistas da marca carioca, desenvolvimento de figurino de bloco, pesquisa sobre a história do carnaval e, claro, o lançamento da coleção. 

      “Nascemos no Rio de Janeiro e sempre estivemos próximos da Sapucaí. A FARM ama o carnaval e ter uma das maiores escolas de samba do país, a verde-rosa, para trocar, ensinar e criar… é grandioso. Criamos fantasias, peças para o dia a dia e aprendemos muito com os criativos da escola. As costureiras, os aderecistas, a direção… todos foram fundamentais para o nascimento de ‘Abre Asas’, conta a Kátia Barros, diretora criativa da FARM.

      A coleção reinterpreta a tradição e a contemporaneidade da festa mais democrática do país em uma cartela de cor predominantemente verde e rosa e com tons pastéis. As modelagens incluem t-shirts, bombers, vestidos, kimonos e saias do tipo godê. Para as t-shirts, uma novidade: elas trazem um coletivo em homenagem a Cartola e Jamelão – mestres mangueirenses – e Tia Ciata, nome de referência e resistência no samba.

      “Temos processos criativos similares: elaboração de croquis, estudo das cores, escolha de materiais, modelagem e a produção milhares de peças. A troca foi extremamente relevante, pois organizamos o conhecimento empírico de técnicas de produção da Mangueira que remonta uma história de 90 anos. O reconhecimento da FARM sobre a importância dessa tradição e conteúdo ajuda na preservação da escola de samba como patrimônio cultural e referência na economia criativa. Para além do entretenimento, o Carnaval é o ponto conexão mais democrático da cultura brasileira”, comenta Bruno.

      “Abre Asas”, nossa nova coleção de inverno, conta também com uma homenagem ao bloco afro Olodum e ao Cordão da Bola Preta. Abre Asas é liberdade. É voo ao novo. É expansão de nós mesmos. E pra você, o que é Abre Asas?

      Todo amor à Mangueira que topou entrar nessa aventura criativa com a gente. Ao Leandro, carnavalesco, costureiros, aderecistas, artistas, artesãos, gestores… A gente é só amor e gratidão!

      25.01.19
    • Novidadinhas da semana

      Quinta é a nova sexta! Já no clima de fim de semana de verão, a gente traz aqui pro novidadinhas as boas pra você aproveitar muito a semana! Se liga nas dicas!

      Rio de Janeiro

      O ícone Gilberto Gil sobe ao palco do Circo Voador nesta sexta e sábado para fazer o show de despedida da turnê Refavela40, que comemorou os 40 anos do álbum que foi um marco pra música brasileira. Os show vão contar com vários convidados especiais!

      Domingo é dia de ensaio aberto do bloco de carnaval Agytoê! A segunda edição do evento rola no dia 27, no Santo Cristo e com entrada gratuita. Ah, o ensaio vai ter participação de outro bloco afro: o Lemi Ayô!

      A confeitaria vegana Conflor, no Cosme Velho, vai refrescar o verão da galera com um festival de bolos e sorvetes no sábado, dia 26. Vão ser várias combinações de sabores deliciosos e 100% sem crueldade. Nham!

      São Paulo

      o SESC Pompéia recebe uma montagem do clássico da literatura Grande Sertão: Veredas, de João Guimarães Rosa. A proposta é totalmente diferenciada: num mesmo espetáculo, unir peça teatral e instalação. Bora?

      Belém

      O Festival Fartura Belém chega na capital paraense trazendo toda a diversidade da gastronomia brasileira. O evento vai rolar na tradicional Estação das Docas nesta sábado e domingo (26 e 27)

      Belo Horizonte

      Neste sábado, das 16h às 22h, rola mais uma edição do pôr do sol da juventude bronzeada. Já no clima de carnaval, vai rolar muito axé e toda a trilha musical que embalou os verões da década de 90. O ingresso custa R$30,00!

      24.01.19
    • Lançamento: Abre Asas

      Abre Asas nasceu. É a nossa coleção de inverno 19 inspirada nos movimentos de carnaval espalhados pelo país ao lado de parcerias inéditas com gigantes da folia: Estação Primeira de Mangueira e Olodum.

      E se as roupas trouxeram a originalidade da nossa festa mais querida, a campanha não foi diferente: sob a direção de arte do Carlos Mach, nosso criador de emoção, convidamos diretores musicais Pedro Amparo e Gabriel Policarpo pra criar uma trilha exclusiva que embalou vídeo, desfile e a festa de lançamento da coleção. No projeto, mais oito músicos participaram dando o tom em instrumentos de percussão.

      Foram quatro dias intensos de foto e vídeo e um casting apaixonante composto por músicos, artistas, foliões e bailarinos que, com a gente, revisitaram pontos emblemáticos do recorte carioca, como o Museu do Açude e o Sambódromo. A dança ficou por conta da coreógrafa Laura de Castro.

      Abre Asas é um convite às expressões de um carnaval diário. É ressignifcar espaços e gestos. Ver e ver de novo. É olhar aberto. Atento. Corpo acordado. É experimentar. O nosso agradecimento aos parceiros que fazem dessa coleção um presente. Já já, a gente conta mais.

      Dá play!

      22.01.19
    • FARM seleciona

      Segundou e hoje é dia de divulgar vaga por aqui! Hoje a vaga é de estágio, não perde tempo e manda seu currículo.

      Estagiário Stylist 

      Descrição da vaga: Cursando faculdade de moda, comunicação social, artes ou algum curso parecido. Trabalha diretamente em loja apoiando a equipe de VM, produção de moda e visual.

      Bolsa de estágio + VT

      Mandar currículo para genteegestao@farmrio.com.br

      Boa sorte! 🍀

      21.01.19
    • Receitinhas de verão

      Gente, e esse calor que não dá uma trégua? O verão chegou chegando no país inteiro e não dá vontade de sair da piscina ou da praia! 💦 💦 💦
      Pensando nisso, a cada duas semanas a gente vai trazer receitinhas mara e bem leves pra você aproveitar a estação mais quente do ano.
      Hoje é dia de pizza feita com massa de couve-flor e suco de abacaxi com côco pra tomar bem geladinho. É rapidinha e serve pra rangar no pós-praia, pra substituir o jantar nos dias de preguiça e até praquela larica da madrugada.

      Bora aprender?

      Pizza com massa de couve-flor

      1 xícara de couve-flor crua
      1 pacote de queijo ralado
      1 colher (sopa) de salsinha
      1 colher (sopa) de orégano
      1 ovo
      Azeite de oliva para untar a forma de pizza

      Sugestão de recheio:

      1/2 xícara de molho de tomate
      200 g de queijo muçarela
      1 tomate picado em cubinhos
      1 cebola média picada em rodelas
      1 fio de azeite

      Vamos botar a mão na massa?

      Preaquece o forno a 230ºC.
      Rala a couve flor crua no ralador ou no processador.
      Mistura todos os ingredientes até que fique uma massa homogênea.
      Unta uma forma de pizza com azeite.
      Despeja toda a massa na forma de pizza e espalha até que fique uniforme.
      Deixa a massa no forno por 15 a 20 minutos até que fique douradinha. Se seu forno for à gás, vai precisar virar a massa e deixar por mais 5 minutos.
      Tira a pizza do forno, espalha o molho de tomate, coloca as fatias de mussarela e em cima o tomate, palmito, cebola, e as azeitonas.
      Rega com um fio de azeite.
      Coloca no forno por mais 5 minutos.

      Tá pronta!

      Bora pra bebida?

      Suco de Abacaxi com côco

      500 ml de água de côco
      4 fatias de abacaxi
      5 folhas de hortelã
      5 cubos de gelo

      Vamos fazer?

      Bate tudo no liquidificador, menos o gelo.
      Junta as pedras de gelo e aperta o botão pulsar do liquidificador

      É só colocar no copo!

      Nham nham! Bom apetite!

      14.01.19