• Tire suas dúvidas sobre pedidos, trocas e devoluções.
    Atendimento nos dias úteis das 9h as 18h.
  • Receba dicas de estilo, via Whatsapp, para realizar uma compra personalizada!

sua mochila está vazia

    hoje no adoro

    • FARM ♥ Yawanawa

      “Natureza Feminina” despertou a energia feminina em todos. Pra mergulhar mais fundo na ideia, nos juntamos novamente às mulheres do povo Yawanawa, parceiras na coleção passada pra uma criação ainda mais especial. Lideradas por Mariazinha Yawanawa, primeira cacique mulher do seu povo, a nova coleção traz em forma de estampa imagens das visões da espiritualidade Yawanawa, em um coletivo de peças que inclui quimonos, calças e vestidos. O lançamento é hoje no site e nas lojas!

      Tudo começou com uma visita das mulheres Yawanawa ao nosso escritório, em 2016. De lá pra cá, lançamos RAUTI, com peças e acessórios feitos artesanalmente de miçangas Yawanawa, e coletivos de brincos, colares e pulseiras.  No comecinho desse ano, parte da nossa equipe criativa visitou as aldeias Yawanawa no Acre onde a relação se fortaleceu ainda mais. A nova fase da nossa parceria é protagonizada por duas irmãs muito especiais, mulheres empoderadas que abriram o caminho espiritual e posições de liderança às mulheres, antes restritas aos homens. Quem assina a parceria desta vez é a cacique Mariazinha Yawanawa, que transformou em pinturas sobre tecidos as visões da irmã, Pajé Kátia Hushahu.

      “Quando levamos nossos desenhos pra FARM, levamos a força e a sabedoria desse conhecimento. A espiritualidade é a responsável por segurar a ponte entre esses dois universos, por resgatar e manter a essência e a cultura nativa, e é a responsável por despertar níveis de entendimento até então ocultos!”, comenta Mariazinha.

      A pedido da cacique e junto com ela, nosso time criativo trabalhou pra transformar o desenho em estampas e nas peças que chegam agora às lojas. A coleção é símbolo da revolução feminina e reafirma o pioneirismo e liderança das mulheres por todo o país, simbolizadas aqui pela liderança desbravadora e feminina das indígenas.

      “Ter a possibilidade de estar perto da Mariazinha e das mulheres yawanawa é um presente. Reconhecemos o quão emocionante é poder criarmos juntas, e trazer parte dessa força para as nossas peças e para a nossa vida. o feminino é força. Ela é mulher forte, poderosa, guerreira, que desenhou uma coleção super feminina. Me identifiquei muito com essa obra que é muito delicada”,  conta Katia Barros, nossa diretora criativa.

      Os desenhos da coleção trazem para as peças visões da espiritualidade que representam o sagrado em suas diferentes formas: a jibóia e a borboleta são símbolos espirituais importantíssimos na cultura Yawanawa. Trazem força e proteção. Além delas, estão presentes também deusas índigenas que apareceram nas visões do povo – uma saindo de uma rosa, bem feminina; outra, voa junto com as folhas da floresta. São esses os símbolos que protagonizam as novas peças.

      A parceria entre a FARM e elas é um sonho real. Juntas, há aprendizado, respeito, conhecimento e criação.
      Do Rio Gregorio, no Acre. Com amor, para você.

      19.09.18
    • Retiro Espelho de vênus

      Deusa da beleza e do amor na mitologia, Vênus na astrologia é o planeta que revela nossos gostos, valores, o que nos atrai e como atraímos. Então além de nos inspirar a moda, o design e a arte, com os recursos que dispõe nossa Vênus nós seduzimos, sensualizamos, transamos e sentimos prazer. Vênus é, portanto, essencial pra nossa autoestima e superimportante na nossa dinâmica de relacionamento.

      Nesse equinócio da primavera, no fim de semana de 21, 22 e 23 de setembro, vou oferecer meu primeiro retiro, dentro de um projeto chamado Oficina Astral Magia, cuja proposta é um mix de aulas de astrologia + trabalho de corpo + atividades criativas. Assim, vocês poderão não apenas adquirir mais conhecimento, como incorporar o princípio astrológico em questão.

      O tema desse retiro da primavera é Espelho de Vênus, já que a estação das flores é a mais venusiana. Vou reunir um grupo só de mulheres na pousada Vila do Açu, no topo da serra dos Órgãos, na região de Petrópolis (RJ), um paraíso natural entre montanhas, com um rio e uma piscina natural, pra aproveitar os quatro elementos da natureza (terra, água, ar e fogo) e fazer uma bruxaria! O alinhamento cósmico do equinócio, momento em que o dia e a noite têm a mesma duração, é quando o Sol ingressa em Libra, signo regido por vênus, que estará em Escorpião, o signo da transformação. E a lua estará quase cheia!

      Convido vocês a virem comigo nessa experiência única de se olhar no espelho pra reconhecerem sua própria beleza! Enquanto usufruem de uns dias de descanso, aprendem mais sobre nossa musa inspiradora, dançam, tomam banho de sol, mergulham no rio, criam coisas bonitas e libertam o seu erotismo. Os recursos que vou ensinar vocês levarão pra vida. Tudo pra viver com mais amor e criatividade!

      Mais informações e inscrições: mainamello.agenda@gmail.com

       

       

       

       

      15.09.18
    • A importância do ASA

      Mais uma super iniciativa incrível vai dar a oportunidade de mulheres ocuparem espaços que por muito tempo as foram negados. O British Council e o Oi Futuro, em parceria com as instituições britânicas Lighthouse e Shesaid.so lançaram o Programa ASA – Arte Sônica Amplificada. O objetivo? Garantir através de uma grande imersão em conhecimento e em mentoria que mais mulheres estejam inseridas na área de som e música.

      Cincquenta mulheres  que atuam na área de som e música serão selecionadas para o programa, que tem como objetivo o desenvolvimento de carreiras pautadas na potencialidade do som, da música e da tecnologia criativa. O ASA vai rolar no LabSonica, espaço de experimentação artística do Oi Futuro, e vai desenvolver uma comunidade criativa colaborativa.

      Profissionais britânicos e brasileiros que são referência na área de som e música darão mentoria para que as participantes desenvolvam novas ideias e produtos. Além de musicistas, o edital tá aberto também para jornalistas, artistas sonoras, engenheiras de som e gravação, produtoras musicais e de rádio, designers de som, sonoplastas e outras especialistas do setor.

      A diretora de artes do British Council Brasil, Cristina Becker, comemora a parceria que dará viabilidade ao projeto.

      “Numa iniciativa pioneira, o ASA foca nas mulheres, explorando as novas potencialidades da música e da tecnologia criativa. Nessa nova etapa de nossa parceria junto ao Oi Futuro, o British Council irá dialogar com mulheres em estágio inicial de suas carreiras, no desenvolvimento de suas habilidades, assim como formar uma comunidade colaborativa de interesse comum”, disse.

      Curtiu o projeto e acha que ele tem tudo a ver com você ou com aquela sua amiga que saca tudo de música e som? Clica aqui que as inscrições para o edital vão até a próxima segunda-feira, dia 17!

       

       

      12.09.18
    • FARM astral – setembro

      Depois de dois ciclos astrológicos pontuados por eclipses e planetas retrógrados, de muitas revisões, questionamentos internos, desafios emocionais, afetivos, profissionais, ufa! Começa um ciclo pra pôr a casa em ordem! A lua nova em Virgem no dia 9 de setembro vem pra trabalhar o foco, organização, planejamento, colocar em prática as decisões e a vida andar pra frente outra vez! Se a coisa já não vem pronta, se podemos ter alguma dificuldade maior, é em lidar com nossa sensibilidade – afinal, estamos cansados das sacudidas que levamos, e um pouco desiludidos também. Mas sonhar é alimento pra vida – tudo começa no sonho, na imaginação e no desejo, pra só então ganhar corpo!

      Mercúrio não só já está direto, como vai passar a maior parte do mês em Virgem, signo que rege e funciona superbem. Pensamento afiado, atenção aos detalhes e capacidade de articulação ajudarão a melhorar a qualidade dos diálogos. A gente se entender melhor é o primeiro passo pra se entender melhor com os outros. Então é o momento de fazer aquela autoanálise, buscar as terapias e tratamentos que podem nos ajudar, aproveitando que Virgem é um signo de saúde! E falando em entendimento, temos sempre que olhar pro Marte, que é o planeta de ação, que acionamos pra batalhar pelas nossas conquistas mas com que entramos numas brigas também. Nos últimos dois meses com Marte retrógrado, já encaramos muitos conflitos, tantos que agora, com ele já em movimento direto, estamos mais preparados pra colaborar uns com os outros, não estamos? Quero muito acreditar que sim. Marte em Aquário a partir do dia 10 tem a força revolucionária da união de forças, da coletividade, da inovação, da quebra de padrões, tudo isso a que o mundo resiste pelo medo do novo, sempre desconhecido… e estamos querendo muito uma vida nova!

      Vênus, planeta da beleza, da atração, dos gostos e valores, do sexo!, entra em Escorpião junto com a lua nova, pra mexer beeeem com o nosso desejo… haja intensidade! E vamos ter que ser bem delicados com isso, porque Vênus vai retrogradar do início de outubro até meados de novembro. Vamos falar sobre isso no próximo Farm Astral, mas por ora saibam que será como uma prévia de como precisamos transformar nossa afetividade e nossas relações pra viver com mais prazer. Porque ainda falta alguma coisa no nosso íntimo… Em setembro tem o equinócio da primavera, estação das flores, tão venusiana, tão inspiradora! Será na virada do dia 22 para o 23, quando o Sol entra em Libra. E tudo isso vai culminar logo em seguida, no dia 24, com a lua cheia em Áries extravasando nossas paixões! Não brinquem com fogo, crianças!

      Que a esperança seja sempre nossa companheira presente. O futuro se faz aqui e agora. Muito amor pra nós!

       

      10.09.18
    • Conheça a Echos

      Boas iniciativas precisam sempre ser celebradas, e hoje é dia de conhecer a Echos. Trata-se de um laboratório de inovação que utiliza o Design Thinking para ajudar grandes empresas a inovarem ao resolver problemas dos mais complexos, além de desafios contemporâneos. Além disso, o espaço promove treinamentos e capacitações em Design Thinking, através de cursos – presenciais ou online. Mais de 30 mil pessoas já passaram pela experiência. O espaço funcioa com três frentes: a Escola Design Thinking, a Innovation Projects e a Descola. Juliana Proserpio, cofundadora do laboratório, fala sobre a importância do espaço.

      “O que fazemos é uma abordagem que permite revolucionar a maneira de encontrar soluções inovadoras para os problemas e desafios das organizações, das empresas, do governo e da sociedade, focadas nas necessidades reais do mercado e sobretudo nas pessoas. Para nós, todo problema ou solução tem um fator humano decisivo. E é a partir dele que projetamos novas realidades”

      A Echos está em 5 cidades brasileiras (São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Porto Alegre e Blumenau), além de Austrália e Portugual. Mas engana-se quem pensa que a empresa tem um crescimento vazio baseado somente em grandes e poderosos clientes. Um de seus projetos mais importantes é o IRIS, que pretende entender melhor o significado da violência contra a mulher e qual o impacto desse problema na nossa sociedade.

      Aqui no Rio, a Echos recebeu a gente da FARM num workshop de estilo super bacana. Ficou interessadx em conhecer melhor o trabalho da empresa? Abaixo, colocamos o cornograma de cursos pra você escolher o que mais se identifica!

      Design Thinking Experience –  24, 25 e 26 de setembro
      Ahaze (conexão com o público através da fala) – 15 e 16 de setembro
      Business Design – 1, 2 e 3 de outubro
      Service Design – 22 e 23 de outubro
      Facilitação – 29 e 30 de novembro

      Animou? Então fala com eles fica por dentro dos detalhes. Clica aqui pra ir pro site ou anota os telefones: 11 34762500 e 21 35777333.

      07.09.18
    • Um guia para pensar a moda do futuro

      Moda circular, biotecidos, upcycling.
      O quanto esses conceitos são familiares a você?
      Para a Fernanda Jung Thomé, designer de moda e estudante de administração em Porto Alegre, eles são objetos de um estudo dedicado e, pode crer, muito inspirador.


      “Ultimamente eu tenho focado meus trabalhos para a economia circular. Como a economia circular pode ser um agente de mudança dentro da moda sustentável. Tenho feito muitas pesquisas também em bioculturas e como isso pode trazer inovação dentro do campo têxtil para a moda”.

       

      Já bateu alguma dúvida?
      Os próximos parágrafos serão puro aprendizado.
      Contar a trajetória da Fernanda é entrar em contato com uma perspectiva potente sobre a moda, porém (ainda) pouco conhecida*.

      *Ao longo do texto explicaremos alguns dos conceitos que fazem parte desse universo e deixaremos prontinho, no final da matéria, um glossário para você saber mais.

      O princípio na moda sustentável.

      A aproximação com esse universo se deu em 2016, durante uma disciplina da faculdade de moda.
      O desafio na época era criar uma peça a partir de resíduos.
      Como começo de uma jornada, Fernanda buscou alternativas ao patchwork. Queria extrapolar, encontrar métodos com os quais se identificasse mais e assim chegou ao quilting livre. A técnica, uma das vertentes do upcycling¹, permite a união de vários pedaços de tecido numa costura livre e de forma artística. Pensando nos resíduos que tinha em abundância, desfiou algodão cru e calças jeans já fora de uso. Como continuidade da pesquisa chegou a um plástico hidrossolúvel. Aí estava a chave para a criação do seu primeiro tecido sustentável.

      “No decorrer das pesquisas eu encontrei um plástico natural que dissolve quando entra em contato com a água, mas antes disso ele é maleável o suficiente para eu conseguir costurar. Eu fui fazendo testes e descobri que se eu usasse esse plástico hidrossolúvel, colocando o algodão e o jeans desfiados entre essas duas camadas de plástico, alfinetasse e fosse pra máquina, eu conseguia criar um manto têxtil. Se eu entrasse em contato com a água, lavando, eu ia conseguir um tecido produzido com esses resíduos. Pra mim foi incrível ver o resultado. É um processo que permite criar muitas estampas, muitas técnicas. Você consegue produzir o tecido desde o início, no formato do molde que você vai utilizar, minimizando os resíduos que você vai gerar e permitindo que você use esses resíduos na próxima criação”.

      O vestido produzido a partir desse tecido foi para a passarela. Nas palavras da própria Fê, não apenas o feedback externo foi incrível, mas também o interno, que se traduz em motivação, inspiração e a descoberta de muitas novas possibilidades. Foi a certeza que ela precisava: ir a fundo no upcycling e desvendar suas técnicas.

      “Foi aí que eu encontrei a economia circular². Comecei a estudar, me interessar por inovações no campo têxtil e fui cada vez me apaixonando mais. Quando eu estava terminando a faculdade, eu desenvolvi o meu TCC baseado numa das escolas de pensamento da economia circular que é o design cradle to cradle³, entrando cada vez mais dentro da moda sustentável, dentro do que a natureza pode nos oferecer, de como a gente pode se inspirar na natureza para criar moda e design. Isso foi trazendo um sentimento de identificação e de luz de dentro que fez eu querer cada vez mais pesquisar sobre e conectar mais pessoas dentro desse sistema”.

       

      A descoberta da circularidade e a retomada do feminino.

      Luz de dentro.
      É o que transborda quando a designer começa a falar sobre o seu trabalho e todo esse jeito lindo de se conectar a terra para pensar o vestir.
      Parece um paradoxo, não é?
      Porém a segunda maior indústria do mundo tem mais a ver com a natureza do que a gente pode imaginar e é exatamente sobre isso que trata a moda circular.

      “Moda circular é repensar o sistema de produção e consumo de moda para um sistema que não seja mais linear. Quando eu digo linear me refiro a um sistema onde a gente extrai da natureza, produz gerando lixo, consome e descarta. O pensamento de lixo não existe mais no sistema circular, ele volta para dentro do ciclo produtivo. É um sistema que extrai pensando como esse lixo pode retornar para o meio ambiente de uma forma sustentável, que não agrida a natureza. É um sistema em que tudo que for consumido vai voltar pra indústria para ser reutilizado ou vai voltar pra terra pra ser compostado”.

      Quer jeito mais feminino de lidar com a moda?
      O fazer natural abre espaço para uma série de outras questões.
      Pensar na produção de matéria limpa, no respeito ao meio ambiente e no descarte do lixo é uma forma de entrar em contato com os ciclos naturais, esses que nos constituem enquanto mulheres e que foram se perdendo com a aceleração do mundo.

      “Eu vejo que, ao longo do tempo, a mulher se distanciou muito do que é natural dela, do que acontece com o corpo dela, de como funciona ou não o ciclo menstrual. Querer colocar isso numa linearidade não faz sentido. Quando a mulher consegue identificar esses padrões de emoções e se reconecta com a circularidade dela, que tem tudo a ver com a circularidade da própria natureza, isso traz uma luz para a vida, uma beleza que não tem explicação”.

      Pensar numa nova moda é também pensar numa nova atuação feminina. Eu boto muita fé que vivemos uma época de resgates e olhar pra dentro é uma revolução. O desafio agora é encontrar o compasso entre natureza feminina, indústria e conservação ambiental.

       

      A experiência amazônica

      Pra isso, e pra mais um tanto de coisas, a Fernanda foi em Julho para a Amazônia. Como parte de um processo de capacitação em desenvolvimento sustentável, conviveu com as comunidades ribeirinhas e aprendeu desde tingimento natural4 até a necessidade de viver em comunidade para que qualquer transformação seja efetiva. Afinal, nossa essência é social e nossa força se amplia quando atuamos juntos.

      “Eu tinha uma conexão muito forte com a natureza e uma paixãopelas trocas que eu poderia fazer com ela, mas as minhas trocas com o ser humano não existiam muito até aquele momento e de forma tão sincera. Dentro do processo de capacitação que eu fiz, o aprendizado que eu obtive com a comunidade, vivendo e aprendendo deles, trouxe uma outra visão de mundo e do quanto nós somos agentes da mudança antes de tudo. Se a gente não souber se conectar e viver em comunidade, não vai adiantar nenhuma mudança que a gente faça. Nenhuma conexão que a gente tenha com a natureza serve se a gente não souber viver em comunidade”.

      Atualmente, Fernanda busca inovações no campo têxtil através da criação de  bioculturas para o desenvolvimento de tecidos a base de celulose bacteriana. Uma novidade e tanto.

      Afinal, o que são bioculturas?

      A biocultura consiste no desenvolvimento de scobys, comunidades bacterianas sintéticas geralmente associada à produção de kombucha5. Os scobys são peças gelatinosas que, quando desidratadas, dão origem a um material resistente e ao mesmo tempo maleável, ou seja, adequado à costura.

      Scobys do ateliê da Fê (o primeiro em processo de desidratação e o segundo ainda em crescimento)

       

      As peças suportam o tingimento natural feito a partir de chás e ervas, a impermeabilização realizada com banhos de óleo de coco e crescem de forma tridimensional, se adaptando a superfície no qual são colocados para a desidratação.

      “Uma das coisas mais legais da biocultura é que ela seca no formato do lugar onde você colocar para secar. No campo da moda isso é uma super inovação porque permite que você crie peças tridimensionais sem costura.”

      Incrível né?

      Além disso, os biotecidos são ideias para a estamparia botânica – uma técnica natural de impressão ou, como você pode encontrar com uma maior variedade de verbetes, ecoprinting. Nela, folhas ou flores são inseridas entre as camadas do scoby (sim, ele cresce em camadas) para que lá permaneçam pós secagem. Sementes também podem compor essas estampas. Já imaginou ter um tecido biodegradável que germina assim que compostado? É muito amor.

      Passar um dia com a Fê, entre os seus experimentos, todos catalogados com carinho e reportados com entusiasmo, é vislumbrar um futuro mais harmônico entre indústria e natureza, alinhado aos ciclos femininos e, portanto, cheio de poder.

       

      Para mim foi enriquecedor e escrevo esse texto porque, realmente, espero que a visão e a atuação profissional da Fê germinem. Assim como os biotecidos do seu laboratório.

      “Sempre me bate um receio quando eu penso o que vai ser o futuro da moda. Talvez seja inocência minha acreditar que a moda possa ser um agente de transformação no mundo, mas ela já foi, positivamente ou negativamente, na revolução industrial e eu acredito muito que a moda pode e vai ser o agente de transformação do futuro. Outras indústrias vão se inspirar na mudança que a moda vai trazer pra fazer as mudanças dentro dos seus próprios processos de criação e de desenvolvimento”.

      Para mergulhar fundo:

       

      1. Upcycling: Processo de transformação de produtos indesejados em novos materiais e produtos com maior valor social e menor impacto ambiental
      2. Economia circular: Conceito econômico que rompe com a linearidade da indústria. Aqui, a proposta é que o resíduo de uma indústria sirva como matéria-prima reciclada para a mesma indústria ou para outras. Ou seja, o que se busca é o aumento do ciclo de vida dos materiais e uma nova relação com a cadeia de consumo: do design de produtos ao seu descarte.
      3. Cradle to cradle: Do inglês do berço ao berço, o conceito propõe sistemas cíclicos de criar e reciclar ilimitadamente. Como vertente da economia circular, propõe fluxos saudáveis de matéria-prima, tanto para humanos quanto para a natureza.
        4. Tingimento natural: Pigmentação de tecidos através de plantas tintórias.
        5. Kombucha: Bebida produzida a partir de um chá ou infusão adoçado que, a partir da fermentação controlada, oferece qualidades probióticas.
      06.09.18
    • novidadinhas da semana

      Ainda não sabe o que fazer nessa semana de feriadão? Vem que a gente te mostra o caminho das pedras pra você se divertir!

      RJ

      Num encontro do presente com o passado, Mãeana leva na próxima quarta-feira uma apresentação com músicas da Xuxa, que a inspiraram durante a infância. O show vai rolar na Audio Rebel.


      Essa é pra quem curte música brasileira! Depois de animar o Corcovado durante a Copa do Mundo, a Festa Brzzil está de volta. Nesta sexta, dia 7, Zehpretim, Zedoroque e convidados tocam o melhor da música nacional no Alto da Boavista.


      O CCBB recebe até sábado o Festival Sai da Rede, onde artistas que usam a internet como principal meio de divulgação dos seus trabalhos se apresentam. Na programação, tem bate-papo com Luiza Junqueira, Gabi dePretas e Clara Averbuck, além de shows de Luedji Luna, Plutão Já Foi Planeta e mais! Bora?

       

       

      SP

      Sexta é dia de Toda Grandona! A festa bodypositive, que tem como missão celebrar corpos maiores, rola na Estação Marquês, na Barra Funda. Ah, pessoas trans não pagam ingresso, é só chegar!

      BH

      Nesta sexta vai rolar mais uma edição da Praia da Estação! A galera que frequenta a praia a define como “uma manifestação político, artístico, cultural, sensual, performática, sem líderes, coletiva, colaborativa, closeira que não é obrigada a nada!”. Será uma tarde de ocupação da Praça da Estação, com muita gente tomando um solzinho de biquíni, rodando bambolê ou mesmo jogando uma pelada.

       

      Para o Brasil inteiro

      Esse é o último fim de semana pra quem quer participar da vaquinha que a Gabi Monteiro organizou pra ajudá-la viver uma experiência mega agregadora! A estilista foi selecionada pra participar de uma residência artística na Inglaterra, onde pretende concluir a pesquisa “Racismo é Estético”. Que tal fazer parte disso?

       

      06.09.18
    • dia da irmã é todo dia

      Hoje é dia da irmã e nós paramos pra pensar e escrever sobre essa relação super incrível. Sabe aquela parceira/parceiro que a gente não imagina viver sem?

      Irmã mais velha é referência. Tem aquela magia de ser “cool”, tipo um espelho, aos olhos de quem é mais nova… e se você é a mais velha, passa a repensar todo o seu comportamento e atitudes, afinal, virou uma das mais importantes inspirações pra outra pessoa. E se engana quem pensa que ser irmã mais nova também não tem responsabilidades. Trazer frescor, novidades e, muitas vezes um ponto de vista de outra geração faz com que o relacionamento e a parceria afetiva seja ainda mais rica.

      Muita gente acredita que ter irmã significa abrir mão de algo, subtrair. Quando ela chega, a percepção já muda e vira tudo sobre aprender a dividir. Os pais, a atenção, o espaço. Com o tempo,  fica fácil entender que ser irmã vai bem além do conceito de dividir. É somar forças, multiplicar amor, carinho e cuidado uma com a outra.

      Quem tem uma irmã sabe que nunca vai ficar sozinha, sabe que pode contar sempre com um ombro amigo, um abraço carinhoso e mesmo um puxão de orelha daqueles! A Fábula, nossa irmã mais nova, é assim pra gente. Trocamos tanto… Aprendemos muito uma com a outra! E também ganhamos.

      Em comemoração ao dia da irmã a cliente FARM ganha 20% de desconto ao fazer compras na Fábula, e vice-versa. ❤

      Pra ilustrar esse post e fazer a gente explodir ainda mais de fofura e carinho nesse dia tão especial, a Manu, filha da Kátia, nossa diretora criativa, escolheu suas melhores fotos com a irmã mais nova, Maia!

      É pra deixar o dia mais feliz, e a vida também. Obrigada, Manu, por ter topado dividir essa beleza com a gente. *Ah! No e-FARM a promo é válida de 06 a 09/09, tá?

      Aproveitem o dia! 

      05.09.18
    • Novidadinhas da Semana

      O fim de semana tá chegando, e com ele vem as novidadinhas do adoro pra você ficar por dentro dos melhores rolês!
      Vem ver!

      RJ

      Luedji Luna chega ao Circo Voador com a turnê Um Corpo no Mundo, acompanhada da mesma banda que a acompanhou na gravação do álbum. O show rola nessa sexta! Bora?

      Luíza Boê e Gabriela Garrido se apresentam nesta sexta, dia 31, na Audio Rebel. Luíza acaba de lançar o primeiro álbum 100% autoral, e Gabriela apresenta as músicas de “Entre”, seu trabalho mais recente. Vamos?

      – Última chamada pra quem quer ver a peça Navalha na Carne. A montagem encerra a temporada neste fds no Teatro da CAIXA Nelson Rodrigues, de quinta à domingo, às 19h.

      SP 

      – A festa Ressaca do Tim vai tomar conta do Miscelânea Cultural! A banda de Qubrada vai tocar neste sábado os grandes clássicos do síndico, além de sucessos dos reis do suingue, como Jorge Ben Jor, Simonal, Seu Jorge, etc. Partiu?

      – Imperdível! Destaque no rap nacional, Black Alien comemora 25 anos de carreira com show gratuito no Centro Cultural da Juventude neste sábado.

      BH

      – O Pôr do Sol da Juventude Bronzeada leva o melhor da música baiana para o São Bento, em Belo Horizonte. A banda da festa começa a tocar às às 17h30, bem no cair da tarde. Só vamos!

      Recife 

      Essa é pra quem curte ritmos latinos! Domingo, dia 2, é dia de Cubana, no Clube Bela Vista. A festa, de mais de 25 anos, une diversas gerações que curtem salsa, gyaracha e cumbia.

      Bora?

      30.08.18
    • FARM seleciona

      É do Rio de Janeiro e tá afim de entra pro time? Dá um bizu nas vagas que estão rolando e vem 🙂

      Vendedora – Rio de Janeiro (Fashion Mall, Leblon e Niterói)
      Meninas antenadas em moda, que tenham segundo grau completo ou superior incompleto.

      Envia seu currículo pra genteegestao@farmrio.com.br com localidade de interesse no assunto.

      Estilista III (temporário):
      Necessária graduação concluída em áreas ligadas a criação. Pesquisar, criar e desenvolver produtos para a marca Farm, dentro da sua respectiva linha. Gerenciar a linha garantindo produtos inovadores, produtos comerciais, dentro do mix proposto, do preço médio e da verba planejada. Necessário conhecimento técnico de modelagem e costura, processo de fabricação têxtil, desenho de moda e desenho técnico, formação de preço.

      Envia seu currículo pra genteegestao@farmrio.com.br e boa sorte!

      20.08.18
    • Novidadinhas da Semana

      Tá afim de curtir um som delícia? Preparamos um novidadinhas especial pra se jogar na música! 

      RJ

      – Bora pro Queremos! Festival? O Queremos! é um dos nossos coletivos favoritos e fds que vem tem festival com Xênia França, Letrux, Rincon Sapiência e muito mais na Marina da Glória. Nos vemos lá!

      – Acabou chorare! Sábado tem Novos Baianos com show delícia pra relembrar as músicas que não saem da memória.❤ Chama a galera!

      SP

      – Que beleza! Pra quem estiver por SP, sábado tem Tribalistas começando a turnê que vai rodar o Brasil voltando com as clássicos que todo mundo ama. Vamos!

      – Domingo bom é na paulista ao som de jazz! Vai rolar o Jazz na Rua com várias atividades e música boa pra fechar o fds com tudo. Anima e partiu 🙂

      BH

      – Alô, BH! Anota aí, fds que vem acontece o Breve Festival no Mirante Olhos d’Água pra celebrar 13 artistas brasileiros numa diversidade de sons. Bora?

      SALVADOR

      – Ô felicidade! Essa sexta começa a turnê Um Corpo no Mundo da Luedji Luna. É 1º disco da cantora que ainda traz músicos incríveis do Quênia, Congo, Cuba e Brasil. Vamos!

      16.08.18
    • é arraiá junino, ops! agostino

      Ô trem bão! Semana passada rolou a nossa festa junina, ops! agostina pra comemorar aniversário em dose dupla: 10 anos nosso escritório e 21 anos da FARM. Teve quadrilha, forró, quentão, caldo verde e não faltou animação do jeito que a gente ama. Vem o tanto de alegria que teve nessa noite de sexta <3

      A festa começou com a Bia Gomes in Trio botando todo mundo pra forrozear num arrasta pé coladinho. Depois, foi a vez da Dj Bieta que já é figurinha carimbada nas nossas festas colocando o astral lá em cima! E pra terminar a sexta já pedindo pelo sábado quem comandou o som brasileiríssimo do Zeh Pretim que a gente ama. Não precisa nem dizer que foi incrível, né?

      Pra refrescar, não podia faltar a praya da FARM bem geladinha! Foi uma noite lindona e um esquenta bom demais pro fds. Os clicks são do nosso fotógrafo do coração, Derek Mangabeira 

      Que venha a próxima! 

      15.08.18