• Tire suas dúvidas sobre pedidos, trocas e devoluções.
    Atendimento nos dias úteis das 9h as 18h.
  • Receba dicas de estilo, via Whatsapp, para realizar uma compra personalizada!

sua mochila está vazia

    hoje no adoro

    • FARM seleciona

      É vaga que você procura? Vem com a gente! Hoje as oportunidades são pra quem ainda tá na faculdade, tá?

      Envia seu currículo pra genteegestao@farmrio.com.br 

      Estágiário produção de moda

      6 horas diários
      Salário + Benefícios

      Criação de produção de moda nas lojas através das vitrines e produção das vendedoras
      Produzir a produção das vendedoras e caixas ( visita em loja)
      Produzir a vitrine de loja
      Feedback das lojas de fora do Rio
      Ajudar na seleção do casting
      Relacionamento com as gerentes

      Cursando Design, Moda ou comunicação

      Estagiário de estilo

      6 horas diários
      Salário + Benefícios

      Apoiar na organização e administração de todas as etapas e processos que acompanham o desenvolvimento do produto, desde a criação até a liberação da peça para a loja.
      Preencher e alterar a ficha técnica
      Acompanhar a aprovação de modelagem, matéria – prima e aviamento e atualizar os status no linx.
      Participar da prova de roupa e atualizar o status no linx
      Preencher tags para provão e showroom e fazer painéis

      Cursando Moda e Design

      13.11.18
    • Cuidar das roupas é coisa nossa!


      Já parou para pensar que a atitude de cuidar as roupas que temos é um ato para uma vida mais consciente?

      Cada vez menos faz sentido essa corrente de consumo desenfreado, produção de lixo e desperdício de insumos, não é mesmo? Se você acompanha o que está rolando no mundo, sabe que estamos ligadas ao conceito de consumo consciente, nas novas formas de criar, produzir e SER!

      Pensando nisso nós e as nossas parceiras de conteúdo do Roupa Livre (estúdio criativo que propõe soluções pra esse mundo que já tem roupas demais) separamos algumas dicas simples pra te ajudar a cuidar mais das peças lindas que você tem. Nossa intenção aqui é te dar ferramentas para dar os primeiros passos nesse movimento de ter mais consciência sobre o que você usa.


      Procure usar a peça mais de uma vez antes de lavar

      Isso por si só já vai aumentar a durabilidade da peça e o impacto causado no uso! Para manter o frescor, borrife um desodorante natural a base de vinagre, álcool e óleos essenciais e deixe a peça pendurada. Assim você vai prolongar o tempo de uso da peça. Não se preocupe, o cheiro do vinagre some minutos depois de passar, quando evapora! 🙂

      Lave suas roupas com produtos que não agridam o meio-ambiente

      Lembre-se que você pode substituir o sabão e o amaciante por produtos feitos em casa, como ensina a Cristal Muniz no blog Um Ano Sem Lixo ou pela saponária, o sabão que cresce em árvore. Assim você não agride a natureza e limpa suas roupas com mais carinho e cuidado!

      Conheça suas peças

      Entendendo do que elas são feitas, fica mais fácil de saber como cuidar. Dê preferência para lavar fibras naturais, como algodão e linho, sempre à mão. Além disso, estas fibras quando tingidas podem perder a cor ou até mesmo manchar com peças que soltam pigmentação. Procure não deixar as peças de molho com outras. Se você estender as peças de viscose bem esticadas e deixar que sequem ao natural, vai perceber que não será necessário passar a peça. Mas se for o caso, sempre vire-a do avesso e deixe o ferro no modo delicado. A gente fez uma série com mais detalhes sobre como cuidar de cada tipo de peça no Insta – está nos nossos destaques!

      Gostou das dicas?

      Na dúvida, sempre leia e interprete os sinais das etiquetas de cada peça!

        


      09.11.18
    • Vamos pra Maracangalha?

      Que a gente é só amor pela nossa irmã mais nova, a Fábula, não é segredo. Mas a novidade é que ela acabou de lançar coleção nova. É o alto verão Maracangalha.

      Imortal na música de Dorival, Maracangalha existe e fica a 63 km de Salvador, no município de São Sebastião de Passé. E foi esse universo que inspirou nossa xodozinha a pintar e bordar numa coleção inventiva, cheia de sotaque baiano. Maracangalha é sobre se permitir sonhar.

      Desconectar é a senha. Nossa caçula abriu mão do wifi rotineiro pra entrar de cabeça no real quase utópico do dia a dia baiano. Maracangalha é um manifesto de felicidade da criança: é refúgio, beira do mar e inventividade. Tem brincadeira, roda, capoeira, tambor, boneca, arte e fruta no pé. Maracangalha é um encontro com a criança interior de cada um de nós, afinal, brincar é coisa muito séria.

      A cartela de cor é de Maracangalha é inspirada na coloração do Pelô e estampada com símbolos importantes do imaginário soteropolitano, como o Dique do Tororó, um dos cartões postais da cidade, e as famosas garrafinhas preenchidas com areia em seus interiores. Bento, a marca da Fábula para meninos, também aproveitou e entrou no clima baiano para as suas criações. Imagina a gente que é apaixonada pela Bahia como fica? ♥

      Sempre que a Fábula lança coleção nova, a gente cai de amores pelas roupinhas (sim, dá vontade de usar) e, principalmente, pela carinha de cada criança que participa da campanha e do lookbook. E o clima nos dias de foto sempre é tão bom que a brincadeira toma conta e não dá vontade de parar.

      Não tem jeito: nossa caçula é xodó, é amor, é reinvenção e é um despertar gostoso das coisas boas da vida. Ser criança é todo dia. Pra conhecer a coleção nova, tá tudo nas lojas e na lojinha online. Passa lá!

       

      09.11.18
    • Vem conhecer a Bubbles.lab!

      Lavanderia, bar, armário compartilhado. Um local, múltiplas atividades. Assim é a House of Bubbles, localizada num prédio no bairro de Pinheiros, em São Paulo. O projeto faz parte da House of All, que contempla outros serviços já conhecidos, como a House of Food, House of Ink, House of Works e outros.

      Inspirada nas tradicionais lavanderias norteamericanas, o subsolo do prédio aproveitou pra abrasileirar o conceito. Enquanto suas roupas passam pelo processo de lavagem e secagem, você pode sentar no bar e beber uma cerveja ou um drink. Quem disse que essas tarefas domésticas precisam ser chatas?

      No andar de cima funciona a Bubbles.lab. Visando incentivar o consumo consciente e diminuir o índice de compras por impulso, o serviço – uma espécie de armário por assinatura – reúne roupas e acessórios diversos pra que seus assinantes façam um, digamos, test-drive, passando alguns dias com as peças para descobrir se gostariam mesmo de comprá-las nas lojas. São três as possibilidades. Pagando R$50, R$100 e R$150 por mês você consegue retirar respctivamente uma, três ou seis peças, e passar 10 dias com elas, combinando com o que já tem no seu guarda-roupa.

      São vários os estilos contemplados pelo projeto. Marcas completamente diferentes estão no acervo da “Netflix de roupas”, e em diversos tamanhos também. De pequenas lojas aproveitam o projeto para se apresentarem ao grande público à grandes grifes pra galera que gosta. Como a gente adora uma novidade bacana – principalmente se envolvem consumo consciente -, você também vai encontrar várias peças da FARM por lá pra montar seus looks.

       

      A Bubbles.lab esteve presente no nosso último encontro re-FARM, na FARM Harmonia apresentando seu serviço para a galera que foi ao evento. Foi apenas uma pequena amostra do que eles podem oferecer, já que o acervo ultrapaça as 1.200 peças!

      Ah, as roupas precisam ser devolvidas limpas, tá? Pra facilitar o rolê, que tal lavar ali no andar de baixo, enquanto bebe um drink e planeja quais serão os próximos itens a passarem uns dias na sua casa?

      31.10.18
    • Visto.bio, nosso novo parceiro

       

      Cada vez mais preocupados com o meio ambiente e buscando soluções para diminuir o impacto ambiental, acreditamos que temos como missão apresentar novas alternativas pra que as farmetes façam sua parte nos cuidados com o planeta ♥.

      Estamos super felizes em dizer pro mundo que o Visto.Bio é o nosso mais novo parceiro. A proposta é incrível e super ousada: fazer com que suas roupas permaneçam limpas após vários usos. Trata-se de uma fórmula com a tecnologia da nanoproteção, que ajuda a criar uma barreira protetora e diminuir a necessidade da lavagem das suas roupas. Já pensou em quanta água a gente gasta cada vez que lava uma peça na mão? Se falarmos em uso de máquina de lavar, então… A estimativa é que role uma economia de 1.300 litros de água por mês!

      O produto pode ser aplicado em qualquer tipo de tecido, sintético ou não, e tem o mesmo efeito protetor. E a proteção não fica restrita às roupas. Acessórios de couro, veludo e até sapatos de plástico também resistem a mais tempo sem lavar com o uso do Visto.bio. Ao invés de cheiro de suor, suas roupas ficarão com aquele cheirinho da FARM que a gente ama!

      Mas como funciona? O spray deve ser borrifado na roupa antes do uso da mesma, e também depois, quando for voltar ao armário. Cada aplicação pode durar até sete dias de uso sem precisar lavar. Incrível, né?

      Não é só a FARM que tá mega empolgada em disponibilizar essa novidade para facilitar a vida das farmetes. O CEO da Visto.bio, Renan Serrano, não esconde a felicidade em ver o produto alcançando um público cada vez maior.

      “Sabia que 65% do impacto ambiental de uma roupa é causado no ato da lavagem pelo consumidor final? O impacto ocorre principalmente na lavagem, pois desgasta a roupa, consome energia elétrica e contamina no mínimo 100L de água por ciclo. A parceria entre a Visto.bio e a FARM, proporciona roupas com o cheiro da sua marca preferida e dá a liberdade para cada um otimizar a sua rotina como bem entender”, diz Renan.

      O planeta agradece.
      Sua roupa também.

       

      26.10.18
    • Novidadinhas da semana


      Quinta é quase sexta, e a gente não pode deixar de dar dicas sobre o que tá rolando pra você se divertir. Vem que o novidadinhas tá cheio de super programas!

      RJ

      O cantor Jão – um dos nomes mais promissores da nova MPB – leva a turnê Lobos ao Teatro Riachuelo nesta quinta-feira, 25. Os ingressos estão quase esgotados, mostrando o fenômeno que ele é entre os amantes da música brasilera.

      Uma festa pela black music!  Jorge Ben Jor e Mano Brown se apresentam nessta sexta na Fundição Progresso. Enquanto o veterano traz já consagrado sambalanço, Mano Brown vai apresentar Boogie Naipe, um trabalho inspirado no soul e no funk americano dos anos 80.

      A biblioteca Estação Leitura começa nesta quinta-feira sua programação de celebração em homenagem à consciência negra. O primeiro evento será um bate papo com Ana Maria Gonçalves, autora do livro “Um defeito de cor”, que ocorrerá em paralelo com a exposição “Somos todos Kehinde”, do fotógrafo Januário Garcia. O bate-papo começa ás 19h30!

      Pra quem curte um bom café, neste sábado rola um festival da bebida no Parque das Ruínas. Com palestras, degustações e expositores diversos, os amantes do café vão poder aproveitar e conhecer mais sobre os diversos tipos da bebida mais amada do Brasil!

      SP
      Sábado e domingo vai rolar a Fiesta de Dia de Muertos. Com a proximidade do Halloween e tentando trazer a comemoração pra uma pegada mais latina, o Memorial da América Latina recebe exposição de altares, stands de artesanatos, concurso de fantasias, festival de tacos e outras atividades típicas da cultura mexicana.

      Cuiabá
      A turnê “Casas” chega neste sabado à capital matogrossense! O cantor Rubel leva as músicas deste e do antigo trabalho para o palco do teatro da E.E. Liceu Cuiabano e promete agitar a cena cultural de Cuiabá!

      25.10.18
    • Conheça a Les Arômes Brasil

      Precisamos celebrar iniciativas que ajudam o planeta. Temos a sorte de ter conosco parceiros que se preocupam com o meio ambiente e buscam fazer a diferença em seus negócios. Uma delas é a Giorgia, sócia-fundadora da Les Arômes, uma marca de cosméticos naturais, livres de qualquer componente químico. Neste post, ela conta a história da marca e como vem trazendo o conceito de beleza consciente pro mercado. Depois de ler tudo, aproveita pra passar no site e garantir os produtos da sua preferência com 15% de desconto usando o código adorofarm.

      Tem alguns anos que decidi tornar minha rotina mais verde. Essa vontade veio como reflexo de uma inquietação em relação ao meu impacto no mundo. Naquele momento eu sabia apenas que queria um entorno mais positivo e responsável, mas ainda não imaginava quais seriam os meus passos e nem onde chegaria.  Acabou que tudo foi acontecendo de forma muito orgânica (e como ser diferente?) e hoje, quando olho para trás, tudo faz sentido. É aquela velha história né? Para começar basta jogar a intenção no sentido daquilo que se acredita.

      Mudei alguns hábitos e comecei a ficar mais atenta aos rótulos dos produtos e aqueles ingredientes com nomes estranhos.  Naturalmente começaram a surgir cada vez mais questionamentos e meu choque foi perceber o quão desinformados somos em relação ao que consumimos. E eu não era a única! Felizmente, hoje vejo uma enorme mudança.  A sustentabilidade e a saudabilidade (acredite, esta palavra existe e ela é super importante) são movimentos que ganharam força nos últimos anos e que vem pesando cada vez mais nos hábitos e decisões de compra – ufa!

      Foi um pulo para a transição para os cosméticos naturais.  O primeiro produto que eliminei radicalmente da minha prateleira foi o desodorante convencional – vale pesquisar sobre!  Descobri que os componentes não tão bacanas presentes nesses produtos eram facilmente substituíveis por ingredientes naturais e de fácil acesso (vou falar disso num próximo post). Foi se abrindo um novo universo de possibilidades e passei a buscar alternativas para shampoos, condicionadores e pasta de dente. É uma fase que lembro com muito carinho, foi quando fiz meus primeiros experimentos caseiros de desodorante – alguns funcionavam, outros nem tanto – minhas inúmeras tentativas de lavar o cabelo com sabão de coco, bicarbonato de sódio, só com água… Para desembaraçar era o santo vinagre, mas o cheiro não era o forte do processo! Tudo muito engraçado, mas nem sempre tão prático e eficiente.

      Então chegou a hora de partir para uma nova tentativa: fui atrás de produtos que dialogavam com a minha vontade de usar e apoiar marcas mais naturais.  Ficava ansiosa esperando o correio chegar – naqueles dias praticamente não tinham opções nas farmácias e supermercados. Quando me dei conta, pequenas mudanças estavam acontecendo e eu tava fazendo encomendas para minhas irmãs, mãe, namorado, amigos… Percebi que não só eu, mas eles também estavam mudando seus hábitos. Por mais que a gente não note, impactamos e somos impactados por aqueles que estão a nosso redor.

      A essa altura eu já tinha intenção de empreender no universo da sustentabilidade, que se concretizou a partir do encontro de propósitos. Esse é o começo da história da Les Arômes, que de um ideal virou uma marca que hoje faz parte da vida de muitas pessoas.

      A beleza consciente é o que nos move. Fomos atrás dos melhores ingredientes pra criar fórmulas maravilhosas que representassem o que a gente acredita. E deu certo! Hoje temos linhas de cosméticos naturais com opções 100% veganas que cuidam e valorizam as mais diversas belezas.

      Fico muito feliz em saber que estamos ajudando a criar um senso crítico nas pessoas com produtos que não são testados em animais, são feitos a partir de frutos nativos da Amazônia e não levam aqueles químicos que eu tanto fugia. E não é só o meio ambiente que sai ganhando nessa equação, já que a pele e os cabelos reconhecem o que é natural e reagem da melhor maneira possível, encontrando seu equilíbrio.

      É possível mudar o nosso entorno começando com pequenos passos. Afinal, são nossas escolhas diárias que vão definir em que mundo iremos viver nos próximos (beeem próximos) tempos. Eu acredito em um futuro com mais respeito ao meio ambiente e ao ser humano, sem deixar a beleza e a saúde de lado. E você?

       

      24.10.18
    • Vem aí a nossa Green Friday!

       

      Você já deve ter visto algum e-mail anunciando uma tal de Green Friday da FARM essa semana. Nesse e-mail, contamos também que vai se tratar da nossa black friday, aquele período cheio de promoções e descontos pra você garantir seus desejos de coleções!

      Vem se cadastrar aqui!

      Mas engana-se quem pensa que a green friday vai ser só sobre compras e descontos. Neste ano, parte dos valores referentes às compras na ação será revertida para causas mais que especiais no nosso coração: o reflorestamento na Amazônia e na Mata Atlântica.

      Afinal, a gente precisa devolver pelo menos um pouco da enorme inspiração que a natureza nos traz, né?

      Nossa parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica e o Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (IDESAM) começou no lançamento do clube FARM. Ao fazer a assinatura, a farmete garante que uma árvore será plantada na Amazônia ou na Mata Atlântica em seu nome, contribuindo assim para o reflorestamento dos dois biomas. Mas como funcionam os dois institutos responsáveis por trazer de volta o que a gente vem destruindo há séculos?

      O IDESAM trabalha com desenvolvimento de plantio florestal em toda a amazônia. São várias as delícias plantadas  na ativação do sistema agroflorestal: abacaxi, mandioca, banana, mas, principalmente o café. Muitas famílias na região do Apuí – onde as árvores do clube FARM serão plantadas – vivem da renda que vem de pequenos cafezais, que funcionam como um fator de viabilidade econômica e possuem um impacto ambiental positivo em comparação com a cultura da pecuária.

      Já Fundação SOS Mata atlântica é responsável por conservar  e restaurar o bioma – acredita que só restam 12,4% da Mata Altântica original? -, além da valorização dos parques e florestas e da proteção do mar. A organização também luta pra mostrar que a Mata Atlântica não é aquele “lugar distante” que muita gente acredita ser. Boa parte do bioma está ao lado das grande metrópoles, em 17 estados brasileiros, e abastece as cidades – com água e com qualidade de vida.

      Agora que já conhecemos nossos super parceiros para a Green Friday, temos uma motivação a mais pra garantir nossos desejos, né? Quer ficar por dentro de tudo e garantir os descontos antes de todo mundo? Vem se cadastrar aqui!

      23.10.18
    • Dia do Poeta – Gabriela Gomes

      Porque acreditamos num futuro feminino, e porque o futuro se desenha de muitas formas mas também se escreve de muitas formas recorremos às palavras para semear uma nova realidade. E nesta nova realidade a voz das mulheres se faz ouvir. Na semana passada lançamos no @inspirafarm o video Futuro Feminino. Uma coletânea de palavras e imagens que inspiram alento e esperança para tempos difíceis. Palavras lidas e escritas por uma mulher, poeta como tantas que vamos jogando luz aqui no adoro! E essas mulheres que são muitas são também singulares, com nome e endereço. E por serem únicas e muitas acreditamos na importância de que o nome de cada uma delas seja reconhecido. Hoje, apresentamos Gabriela. Mulher, designer, poeta furta-cor. Militante dos afetos.

      Sobre açúcar e cafeína: os acidentes tropicais de uma poeta-furta-cor

      Ausente de movimento literário, ser alternante entre o disfarce de designer e a pele de poeta: toda ela dupla-face, Gabriela. É ariana, com lua em gêmeos (dupla-face, alow). Adora cachorros, Adília Lopes e manteiga de amendoim. Ultimamente tem se interessado muito por vulcões. Nasceu em Niterói, isto é um fato. Mas desde de que pode chamou de casa todos os lugares em que pode amar, comer, ler, escrever e, claro, encontrar o seu café favorito. Atualmente vive no Porto, em Portugal, onde se dedica ao Mestrado de Estudos Literários, Culturais e Interartes na Faculdade de Letras e à sua Dupla-face, estúdio de design e conteúdo. Atende por Gabe e o seu café favorito é a Rota do Chá.

      Falemos da pele de poeta.
      Em maio de 2018, Gabriela presenteou-nos com a primeira versão de seu primeiro livro de poemas Acidentes Tropicais, que começou a ser escrito lá em 2016. A versão desenhada, editada e impressa por ela, para ser lida, ouvida, perguntada e respondida, com direito a substantivo próprio e poema selecionado de acordo com o destinatário Acidentes Tropicais, chega acelerando assim todo um fenômeno cósmico do solstício de verão europeu. E chegou assim: com papel colorido, quase escolar, dobrado a meio por mãos pesadas de afeto, atados por um elástico vibrante que trazia em si a promessa de um outro acidente, tudo isso abraçado por um cartão cor-de-abóbora. E então: “o que é um acidente tropical pra você?”

      Longe de ser uma mini-bio ou uma resenha o propósito destas palavras, as minhas, é fazer ecoar as dela, Gabriela. Dela e dos seus acidentes, ambos tropicais. Dela e de todas as outras mulheres que também cabem nas mesmas palavras, dentro e fora de páginas.
      Num tempo em que a resistência feminina passa pela definição de um espaço de fala, que se quer mais amplo, mais vibrante, mais inclusivo e polifónico, a proposta de leitura do Acidentes chega como aquele abraço de irmã mais velha no fim de uma prova de matemática (quem nunca?). Deixo aqui uma escrita fotográfica pra vocês:

      Um lugar seguro, cuidadosamente preparado. 15 assentos. 15 livros-vivos. 15 nomes singulares. 15 poemas destinados. 15 oportunidades de estar. 15 oportunidades de sentir. Gabe se apresenta timidamente, quebra o gelo agradecendo a presença, pede silêncio e verdade e conta que ainda não tem editora mas que decidiu fazer por ela mesmo, seu primeiro livro. Poderia ser considerada ansiosa, mas a verdade é que ela quer ver suas palavras chegarem às pessoas, ali, na sua frente, na presença. Ela mesma chama o livro de livro vivo e as leituras são a própria experiência na presença, uma leitura compartilhada. Apresenta as suas avós: Deolinda, Ruth e Ruth. A partir daí é conosco. Cada uma de nós lê o poema destinado. São leituras intensas, muitas vezes interrompidas ou ritmadas pelos afetos. Risos ou choros.

      Em sua primeira leitura no Porto a poeta diz: “Hoje reuni pessoas queridas e próximas a mim aqui no Porto para fazer uma primeira leitura do acidentes tropicais, meu primeiro livro de poemas. Fiquei colocando o tempo inteiro na minha cabeça que isso não era o lançamento e sim uma leitura. O acidentes ainda não tem uma editora definida, estou neste processo de busca. mas isso não me impediu de uma vontade de reunir essas pessoas próximas pq queria ouvir da boca delas os meus textos. queria entender onde cada um quebra o verso, de onde vem o ritmo, onde riem com o canto da boca, onde choram, onde se engasgam, reuni 15 pessoas que leram 15 poemas. não era pra ser um lançamento, era pra ser uma leitura, mas foi um lançamento. foi o meu lançamento, um jogar no mundo o amor que tenho por esse livro e receber de volta tanto afeto. a gente vai realizando aqui e ali, na unha, na fotocópia mas vai. vamos aos poucos mas vamos longe!”

      A partir daí é conosco. Depende do quanto cada uma consegue e quer se dar. É uma leitura performática, terapêutica, não canónica, de fora pra dentro. E de repente já não somos apenas 15, somos nós e todas as outras mulheres que já fomos, ou as que queremos ser, transitando entre as 9 possibilidades capitulares deste livro que é, antes de mais, um convite para a vulnerabilidade. E quão lindo pode ser despir a alma em público!

      No Brasil as leituras tiveram lugar no mês de setembro em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Niterói, cidade natal da poeta onde sua família vive até hoje. Agora de volta a Portugal a poeta pretende repetir a experiência na cidade-teste Porto, e também em Lisboa. Para acompanhar de perto o que tem sido feito pela poeta basta ficar de olho no instagram do @acidentestropicais e em sua conta pessoal @gahbe. Ah! Ela também escreve uma newsletter contando sobre suas criações e a vida no Porto, para se inscrever basta clicar aqui. Ficamos por aqui deixando o espaço necessário para que cada qual encontre o seu próprio acidente tropical! E pra vocês, o que é um acidente tropical?

      Este texto foi escrito por Isabeli Francis, amiga, curadora no @marginal.curators e historiadora de arte, roomate, compania para bolos de chocolate e leitora da poeta.

      20.10.18
    • Novidadinhas da semana

       

      Música, moda, arte, rituais espirituais… o fim de semana vai ser animado, e aqui no novidadinhas a gente coloca só as boas pra você escolher! Se você estiver no Rio, SP, Curitiba ou Recife, fica ligado nas nossas dicas!

      RJ

      Veste Rio
      Em mais uma edição do evento que aquece o mercado da moda no Rio, a FARM estará presente com um outlet incrível! É a sua chance de garantir aquele desejo com até 50% de desconto.

      O Terno no Circo Voador
      A banda paulistana O Terno  vai subir no palco do Circo Voador neste sábado, para a últiam apresentação de turnê “Melhor do que parece”. O show vai contar com a participação de Letrux, a rainha do climão! Bora?

      Ritual Yawanawa com Hushahu
      Hushashu, a primeira pajé do povo Yawanawa, junto com Mawa Isã (aprendiz das dietas e do conhecimento ancestral) , Tuin Kuru e Nai (jovens aprendizes da tradição), vem até a aldeia Akasha, em Itaipava, para cerimônia de uni (ayahuasca). Os rituais rolam nos dias 19 e 20, e tem a opção de jornada dupla!

      SP 

      Encontro re-FARM
      Imperdível! No próximo domingo, dia 21, vai rolar mais uma edição do encontro re-FARM na loja Harmonia. Dessa vez teremos duas turmas de uma oficina de brincos feitos a partir de reaproveitamento de materiais das nossas coleções passadas. Também vai rolar apresentação da bubbles.lab – projeto de assinatura de roupas e acessórios – parceiro da FARM – criado pela House Of Bubbles.

      Curitiba

      Bienal de Arte Contemporânea
      Nesta quinta (hoje!) rola a abertura oficial da Bienal de Arte Contemporânea de Curitiba, no Museu Oscar Niemeyer ! O evento – que completa 25 anos em 2018-  vai rolar até 30 de dezembro, com exposições diversas, obras e intervenções. Vale conferir!

      Recife

      Hellcife Flow
      O evento multimídia tem sua segunda edição neste sábado, dia 20, trazendo nomes importantes da cena musical. Rincón Sapiência traz as raízes africanas e os protestos de seu “Galanga Livre”, e a maravilhosa Linn da Quebrada sobre ao palco junto com a produtoda BADSISTA pra divulgar e enaltecer a cultura da periferia. Além disso, vão rolar apresentações de novos talentos do meio universitário!

      18.10.18
    • a infância é protagonista

      A cultura da criança é a cultura da alma. Os meninos têm a alma na frente. Depois é que ela vai pra dentro. Vai botando pano, papel, livro em cima.

      A fala acima é da etnomusicóloga e educadora Lydia Hortélio, que cresceu entre mangueiras no sertão da Bahia e acredita que a revolução do mundo acontece pela infância, com as crianças.  Pra ela, o brincar é uma afirmação de vida. Hoje é 12 de outubro. Dia das Crianças. Dia de Nossa Senhora Aparecida, a santa padroeira do Brasil, e vamos falar sobre o empoderamento da infância, atravessados pela experiencia mágica que a Fábula, nossa irmã mais nova, está vivenciado na Fundação Casa Grande, no Cariri. Veio de lá a experiência pra coleção de verão 19, Festejo.

      O protagonismo da criança e do brincar sempre foi o caminho escolhido pela Fábula. Festejo nasceu depois de uma viagem de pesquisa ao sul do Ceará com a ideia de recriar o mundo através do olhar do empoderamento da infância. E é esse protagonismo – o do brincar – a bandeira levantada pela Fundação Casa Grande. Lá, as crianças são capacitadas a contar desde cedo suas próprias narrativas, através da linguagem popular das inventividades sonoras, das literaturas de cordéis, do toque, da auto expressão e da filosofia do afeto. Tudo isso pode vir a ser futuras profissões.

      Claro, ainda há o fomento à linguagem do brincar e à percepção de tempo – o aqui e agora – que as brincadeiras propiciam. O brincar é, então, parte estruturante de todo ser humano e uma verdadeira mola propulsora pra todos esses impactos positivos. Toda criança é protagonista do seu próprio desenvolvimento.

      É preciso viabilizá-las e afeta-las com afeto. Gosta do tema e quer acompanhar a imersão da Fábula pela Fundação Casa Grande? Fica de olho aqui, no Instagram da Fábula. Nossa caçula vai passar o fds no Cariri!

      12.10.18
    • Como foi o último encontro Re-FARM

      O último encontro Re-FARM que aconteceu na nossa loja da Harmonia, em São Paulo, foi muito especial. Isso porque foi o lançamento oficial de uma parceria muito incrível nossa com duas empresas muito muito legais: a Banco de Tecido e o Nosso Tecido.

      A partir de agora, você pode comprar nossos tecidos nesses dois lugares! Sim, tecidos da FARM de coleções antigas que não foram usados. Já são mais de 10 mil metros de tecido doados, catalogados e colocados à disposição da gente. É uma iniciativa bastante corajosa e muito necessária pra que se possa diminuir o desperdício da produção das roupas e colocar mais essa questão em debate, inclusive pra além daqui.


      Quem compra, recebe também etiquetas que identificam o tecido como oficial nosso. E todo mundo pode usá-las.  Convidamos a Cristal Muniz, do blog Um ano sem lixo, pra escrever esse post aqui. Ela conta sobre esse processo todo com afeto, vem ler!

      As sobras de rolo, como são chamadas na indústria têxtil, são os rolos de tecido que não foram utilizados até o fim. E isso acontece porque lá no conceito a coleção muda por conta das alterações de modelagem etc. Essa sobra muitas vezes não serve mais para ser utilizada no modelo de produção normal, e por isso acaba esquecida num cantinho. Mas essa sobra não é pequenininha, ela é gigante!

      Pra indústria fica muito difícil de usar, mas pra gente, que só queria coisinhas combinando com aquele tecido que a gente amou da coleção passada, é mais que possível. Lá no evento eu pude ver um pouquinho da quantidade de estampas e variedades de tecidos (moletom, jeans, viscose, rendas, metalizados) disponíveis, além de entender um pouco como funciona cada um desses parceiros, que eu conto pra vocês aqui:

       

      O Banco de Tecido



      Criado pela Lu Bueno, o Banco de Tecido é um espaço de troca e venda. Se você tem sobras de tecido em casa, seja porque costura ou porque um dia quis fazer uma peça que acabou nunca saindo do papel, pode leva-la até o Banco e ganhar crédito pra levar outro pra casa. Os tecidos são trocados e comprados por peso – e o preço é único! Você fica com 70% do peso do que levou em crédito se for correntista. Se você só quer um pedacinho de tecido pontual, não costura e não vai ter sobras pra levar, pode comprar com dinheiro – essa modernidade ainda funciona também, hihi. 🙂 Se você não é de São Paulo, pode mandar um whatsapp que eles conversam e mandam pra outras cidades também.

       

      A Nosso Tecido

      Diferente do Banco, a Nosso Tecido é um negócio online. Isso significa que os desafios são diferentes, um muito importante: o cliente precisa saber exatamente qual tipo de tecido é, já que não pode tocar e sentir. Por isso, eles contaram com uma rede de voluntários que desenrolou, mediu e avaliou todos os tecidos recebidos da FARM pra ter todas as infos certinhas no site.

      Depois do bate-papo com a Lu do Banco de Tecido, a Pamela do Nosso Tecido, a Taci da FARM, a Mari Pelli do Roupa Livre e o Ednelson Soares da Rede Asta contando um pouquinho como tudo funciona e quais os desafios dessa nova jornada, ainda rolou um workshop de caderninhos reaproveitando tecidos da FARM para fazer a capa.

      A Rede Asta, que já é um parceiro de muito tempo, é um negócio social que capacita artesãs como empreendedoras usando resíduos para criar produtos. Cerca de meia tonelada de resíduos de tecido é doada por mês pela FARM. Dessa vez, esses resíduos são menores, aquele resíduo da hora de cortar a modelagem da peça. Com eles são feitas almofadas, fuxicos, caderninhos, molduras, o que você pensar é possível.

      Sobra não é lixo. Eu, que trabalho diretamente com evitar o desperdício, vejo essas possibilidades de novos usos que a própria marca criou como sensacionais.

      Esse é só o começo, eu tenho certeza, de muitas ações legais que a FARM vai fazer pra, cada dia mais ter uma logística circular dos seus produtos. Como disse a Taci, a head de marketing da marca “uma marca também é o que as pessoas que trabalham nela são e as pessoas já estão diferentes”. É justamente pelos feedbacks dos clientes que as marcas podem aprender a fazer a mudança. Eu sou bastante otimista, não sei vocês! 🙂

       

      Cristal Muniz vive um estilo de vida lixo zero desde 2015, quando criou o blog Um Ano Sem Lixo. Hoje se dedica a divulgar a causa em reportagens, palestras e nos workshops que ministra por todo o país. Cristal também é autora do livro Uma Vida Sem Lixo (Editora Alaúde), lançado em julho desse ano, um guia prático para aprender a viver sem desperdício.

       

      11.10.18