• Tire suas dúvidas sobre pedidos, trocas e devoluções.
    Atendimento nos dias úteis das 9h as 18h.
  • Receba dicas de estilo, via Whatsapp, para realizar uma compra personalizada!

sua mochila está vazia

      Tag: pedal das gurias

    • Pedale como uma Guria – pela Fê do Sotaques

      “Um coletivo autogestionado de pessoas que se identificam como mulheres coloridas,
      elos que formam uma corrente de amizade, afeto, empoderamento e sororidade”.

      Essa é a descrição do Pedal das Gurias – um grupo de mulheres, em sua concepção mais abrangente, que se reúne semanalmente para pedalar. A iniciativa surgiu no primeiro mês de 2016 em Porto Alegre. Desde então, o grupo cresce alicerçado no cuidado, consigo e com a outra, e no debate em torno de representatividade e autonomia.

      O Pedal das Gurias é uma rede de ajuda para que mais gurias possam ocupar um lugar na cidade. Ele é mutável: sempre tem alguém novo, alguém que chega com uma ideia diferente”, conta Estefania, uma das participantes.

      Muito mais do que incentivar a prática do ciclismo dentro das cidades, crença fundamental do grupo, o importante é celebrar, através da bicicleta, a liberdade e o desejo de mudança.

      “É um momento de higiene mental, de libertação, de autoafirmação também. A gente troca uma ideia sobre a questão do feminino e busca se compreender”, relata Naira.

      E sim, é de uma liberdade e tanto pedalar com elas. Eu me juntei ao grupo numa quinta-feira à noite para viver a experiência sob duas rodas. Fazia tempo que não me aventurava pela cidade e confesso que cheguei apreensiva.

      Na Rótula das Cuias, ponto de encontro do grupo, as gurias foram chegando, dispondo-se em roda, cumprimentando-se e acolhendo as novatas com carinho. Aliás, eram muitas novatas na rara noite quente de Inverno. O destino é escolhido democraticamente enquanto os códigos são ensinados. No Pedal, o importante é fazer parte do grupo, sentir-se responsável pelas mulheres que andam, literalmente, ao seu lado. Bah, é uma força incrível essa prática de sororidade:

      “Logo depois de começar a vir eu me percebi como responsável pelas outras, nesse sentido de proteção. No intuito de proteger as outras, eu acabei me fortalecendo e conseguindo andar sozinha. Antes, em alguns momentos eu sentia muito medo. Vendo mulheres iguais a mim eu me senti capaz. Ocupar a cidade é ocupar o que é nosso” conta a Estefania.

      Saímos, juntas, em direção à Zona Sul de Porto Alegre. Com o vento no rosto, vi a cidade de uma forma que eu nunca a havia percebido. Pedalando ao lado de mulheres que riam, cantavam, conversavam e marcavam sua presença na rua, pensei na importância de ocuparmos o espaço público.

      Viver em sociedade é um ato político; e é de uma simplicidade assustadora o quanto nos distanciamos do significado de nossas escolhas no dia-a-dia. Tudo bem, dar conta do recado nos consome, mas momentos como esse são um baita respiro. Andamos juntas à noite, em meio ao trânsito e por trechos, por vezes, pouco movimentados.

      Eu comecei a vir no Pedal das Gurias porque eu queria muito pegar a bike. Os meus amigos andam e eu queria perder o medo. Eu soube do grupo e pensei que era uma oportunidade de me virar sozinha. Saí do primeiro encontro mais confiante: eu posso pedalar, esse espaço também é meu” comemora a Bruna.

      Foram tantas as histórias de acolhimento, sobre como o Pedal das Gurias funcionou como uma “primeira casa” para meninas vindas do interior. Para mim também, que retorno a Porto Alegre em busca de um novo olhar para cidade.

      Eu, com minha lua em Câncer, me emocionei quando, em uma das últimas esquinas, passamos por um grupo de mulheres que nos aplaudiram e abanaram felizes por se verem representadas.

      Naira confessa: “eu acredito que a bicicleta vai mudar o mundo”. Gurias, vocês já estão mudando o mundo. E mais do que um relato, esse texto é um convite e, sobretudo, um agradecimento pela experiência.

      Obrigada, Pedal das Gurias, Gabriela Guez, minha amiga de bike, de foto e de vida, pela parceria. Meninas de Porto Alegre, participem. E vocês, meninas de outras cidades, me contem: como ocupam as cidades?

      Pedal das Gurias:
      /pedaldasgurias
      Todas às quintas-feiras
      com partida às 20 horas
      da Rótula das Cuias.
      Só para mulheres \o/

      Matéria feita pela Fê Carvalho do Sotaques de Porto Alegre 

      14.08.18