• Tire suas dúvidas sobre pedidos, trocas e devoluções.
    Atendimento nos dias úteis das 9h as 18h.
  • Receba dicas de estilo, via Whatsapp, para realizar uma compra personalizada!

sua mochila está vazia

    • verdade é transparência!



      Nossa missão é inspirar e gerar impacto positivo! Acreditamos que nossos produtos podem gerar transformações profundas, mas nada seria possível se não existe um propósito durante o processo criativo e desenvolvimento de cada peça. A nossa verdade vem a partir da construção de confiança. Ou seja, uma relação de transparência e de responsabilidade ao longo de toda cadeia produtiva. Acreditamos no poder transformador que temos como marca e, pra nós, não existe moda sem falar em sustentabilidade, pessoas e meio ambiente.

      Pelo terceiro ano consecutivo tivemos o orgulho de participar do Índice de Transparência da Moda do Fashion Revolution. Um momento muito importante, pois abrimos informações da nossa cadeia produtiva e de fornecedores, bem como nossas políticas e compromissos com as questões ambientais e sociais. Além de como estamos atuando, estrategicamente, para aumentar nosso impacto positivo no planeta. O objetivo é deixar claro que estamos olhando os nossos processos com muito cuidado e temos um compromisso sério com o planeta e nossos consumidores.

      O que é Índice de Transparência da Moda?


      O Índice de Transparência da Moda (ITM) , criada em 2016 pelo movimento Fashion Revolution, analisa e classifica marcas de acordo com a disponibilização de seus dados públicos em seus respectivos canais de transparência. E mais do que isso, o movimento estimula o debate sobre transparência na cadeia de valor e, consequentemente, a prestação de contas das empresas com o público.

      Em 2020, chegou-se à terceira edição do Índice de Transparência da Moda Brasil com a análise da divulgação pública de dados sobre políticas, práticas e impactos sociais e ambientais de 40 grandes marcas e varejistas presentes no mercado brasileiro. A FARM participa do  índice desde 2018. 

      A análise inclui 221 indicadores que cobrem uma ampla gama de tópicos relacionados a  questões sociais e ambientais, como condições de trabalho, trabalho escravo contemporâneo, salário justo para viver, liberdade de associação, igualdade de gênero, igualdade racial, listas de fornecedores, práticas de compra, bem-estar animal, biodiversidade, uso de químicos, emissões de GEE (gases de efeito estufa), descarte de resíduos têxteis, reciclagem e circularidade, entre outros.

      E como resultado desse esforço contínuo, do último ano para cá, dobramos nossa pontuação total no índice, de 12% para 24%. E não para por aí, aumentamos também em 3 das 5 categorias avaliadas pelo índice: nas categorias de políticas e compromissos, rastreabilidade e fazer comunicar e resolver,  respectivamente 11%, 29% e 7%. 

      O que é transparência?

      Para o Fashion Revolution, transparência é a divulgação pública de dados confiáveis, detalhados e comparáveis sobre políticas, compromissos, práticas e impactos de uma empresa em toda a sua cadeia de valor. Transparência é o início e não um fim, ou seja, é o primeiro passo  e uma jornada que leva à responsabilização e prestação de contas que, por sua vez, levam a mudanças na prática. Sabemos que a transparência sozinha não representa o tipo de mudança sistêmica e estrutural que queremos ver dentro da indústria da moda, mas ela ajuda a revelar as estruturas em vigor para que possamos entender como mudá-las.

      Transparência não significa apenas sustentabilidade, mas uma importante ferramenta que joga luz ao longo de todas as etapas da cadeia de valor da indústria da moda – desde a extração da matéria-prima até o descarte. Somente reconhecendo os desafios e problemas sociais e ambientais presentes nos bastidores da indústria, será possível agir de forma eficaz em prol dos direitos humanos e da natureza.

      O Índice de Transparência da Moda usa uma metodologia que classifica as empresas de acordo com a divulgação pública de suas informações dentro de cinco seções que abordam:

      • Políticas e compromissos sociais e ambientais:

      Esta seção explora as políticas de direitos humanos e meio ambiente das marcas para seus próprios funcionários e fornecedores, como essas políticas são implementadas, como a empresa prioriza determinadas questões, quais objetivos ela tem estabelecidos e se ela está relatando seu progresso anual.

      Em nossa página de transparência estão nossas políticas ambientais, inciativas em prol do planeta e da conservação da biodiversidade, circularidade e como lidamos com nossos resíduos. E nossas políticas em prol das pessoas, código de ética e manual do funcionário. 

      Em 2020 avançamos ainda mais em nossos compromissos e lançamos a primeira coleção carbono neutro, e 1000 árvores por dia iniciativa que planta até o fim de 2020, 140 mil árvores na Mata Atlântica e Amazônia

      • Governança

      Aqui buscamos por quem, da diretoria executiva da marca, tem a principal responsabilidade nos pontos que atigem diretamente os direitos humanos e meio ambiente. Ou seja, como isso é implementado, se o departamento e a pessoa responsáveis por essas questões podem ser facilmente contactados pelo público e como o programa de benefícios dos funcionários, CEO e fornecedores estão ligados às melhorias na gestão de direitos humanos e meio ambiente.

      • Rastreabilidade da cadeia de fornecimento

      Nossos fornecedores passam por uma vistoria: os de unidades de produção, instalações de processamento e também os fornecodores de matérias-primas. Procuramos também pelo detalhamento de informações, como endereço do fornecedor, número de trabalhadores, distribuição por gênero e raça, número de trabalhadores migrantes, representação sindical e quando a lista de fornecedores foi atualizada pela última vez. 

      A divulgação pública das listas de fornecedores pode ajudar sindicatos e grupos da sociedade civil a identificar e solucionar problemas enfrentados pelos trabalhadores ao longo da cadeia de produção das marcas e varejistas.

      Na FARM acreditamos na importância dos diálogos com a sociedade e órgãos especialistas a fim de contribuirmos na construção de boas práticas coletivas em nosso setor. Além da associação à ABVTEX e Sustainable Apparel Coalition, que zelam pelo desenvolvimento de um mercado formal, ético e responsável com o meio ambiente, prezamos também por condições adequadas de trabalho respeitando a legislação trabalhista brasileira proporcionando ambiente seguro e digno para funcionários.

      Como mais um passo em direção à transparência, em 2018 nos associamos a ABVTEX (Associação Brasileira do Varejo Têxtil), instituição que zela pela construção de um mercado de moda mais ético e justo apoiando o desenvolvimento sustentável da indústria têxtil através de iniciativas como o Programa de Certificação de Fornecedores da ABVTEX. Este programa audita a adesão às normas legais e questões socioambientais da cadeia produtiva do varejo brasileiro. Essa certificação é um pré-requisito para o cadastramento de novos fornecedores da FARM e do Grupo SOMA.

      Em relação ao fornecimento internacional, em 2020, nos associamos à Sustainable Apparel Coalition (SAC) nos unindo a mais de 250 marcas líderes do vestuário, calçados, têxteis, varejistas, ONGs, fornecedores e instituições acadêmicas, em uma atuação global focada em criar mudanças transformadoras, em busca de melhorar o desempenho ambiental e social trabalhista no mundo.

      Nossa meta a longo prazo é utilizar o Higg-Index, ferramenta criada pela SAC, para analisar e quantificar os impactos na sustentabilidade de nossos produtos desde a matéria-prima até sua chegada nas lojas e, dessa forma, priorizar nossas ações, identificando oportunidades.

      A cada ano, o Índice de Transparência da Moda aborda e explora com maior profundidade um conjunto de questões consideradas importantes para a indústria da moda. Em 2020, o relatório brasileiro, assim como o global, dá destaque a quatro áreas estratégicas que chamamos de os 4 C’s: condições de trabalho, consumo, composição e clima.

      E temos o orgulho de compartilhar que temos avançado em todos esses pontos. E em 2020 conseguimos ir mais longe principalmente na composição dos nossos tecidos: aumentamos significativamente a participação de matéria prima de menor impacto em nossos produtos.

      Podemos, sim, comemorar! Nos últimos 4 anos demos passos importantes em relação a essa conscientização. Escolhemos o otimismo sabendo que esse avanço vem acontecendo de maneira constante. É um avanço importante para nós e para o planeta, mas acreditamos que este é um processo contínuo e progressivo.

      E a gente agradece a você que nos acompanhou até aqui. Você que acreditou que podemos fazer mais. Sigamos juntos, este é só o começo!

      21.12.20