• Tire suas dúvidas sobre pedidos, trocas e devoluções.
    Atendimento nos dias úteis das 9h as 18h.
  • Receba dicas de estilo, via Whatsapp, para realizar uma compra personalizada!

sua mochila está vazia

    • Proteção aos povos originários

      Segundo a Articulação dos povos indígenas do Brasil, até a primeira quinzena deste mês, o país registrou 490 mortes de indígenas e 130 povos atingidos. Foram mais de 13.804 casos confirmados. Diante dessa realidade – e na importância de reforçar a parceria que já temos com as mulheres do povo Yawanawa  e com o ISA – doamos 16 mil máscaras para diversos povos indígenas. do país. Esse post é um chamado de atenção à realidade dos nossos povos originários diante da pandemia. 

      Conversamos com a Evelin Tatiane, a Hekeré Terone, Terena da Comunidade Indígena Aldeia Aldeinha, no município de Anastacio, MS, sobre tudo isso. Os números assustam. E a realidade dos povos, sem o olhar do Estado, também: 

      “Minha comunidade tem passado por esse momento com muita dificuldade, pois temos muitos anciões, crianças e grupo de risco. Tentar chegar nessas lideranças e fazê-los ter a compreensão e o entendimento de que, nesse momento, temos que ficar na comunidade – somente – e nas nossas casas, é bem difícil. Somos acostumados a morar em grande quantidade de pessoas, a ficar juntos no campo… Infelizmente, residimos em um estado ruralista, onde a cultura que predomina é a cultura do gado. Nós, populações indígenas, estamos sempre em último caso. O sistema de saúde indígena falta por muitos problemas e temos tentado conscientizar e sensibilizar a comunidade sobre lavar as mãos, evitar aglomeração e o uso correto da máscara. Conseguimos uma parceria grande com a FARM que nos atendeu com a doação de 4 mil máscaras. Através disso, acreditamos que será possível proteger por mais um bom tempo nossos anciões e atender as comunidades vizinhos. Temos mais de 12 mil indígenas no município de Aquidauana. Como professora, terena dessa comunidade e mulher indígena, digo que estamos fazendo frente às barreiras sanitárias, a arrecadação de alimentos e máscaras e material de limpeza. Somos mães, amigas, companheiras, guerreiras… Temos sempre um incentivo e um motivo a mais: nossos filhos e netos. Isso vem ser um ponto chave”. 

      E, além da comunidade Terena, a doação de máscaras da FARM, feita a partir de tecido reutilizado, contemplou também:

      Povo Yawanawa, com a doação de mil máscaras distribuídas pelo Tashka, @tashka_yawanawa; Povo Munduruku, com a doação de mil máscaras e por indicação do Estêvão Ciavatta, e 23 povos no entorno de São Gabriel da Cachoeira, com a doação de dez mil máscaras. São eles: Tukano, Baniwa, Baré, Hupd’ah, Desana, Tariana, Coripaco, Yuhupdeh, Piratapuia, Warekena, Tuyuka, Kotiria, Kubeo, Arapasso, Yebamashã, Dow, Miriti- tapuya, Nadob, Siriano, “Caboclo”, Barra, Karapana, Kujawi, Kuiawi e Yanomami da região de Maturacá que serão atendidos com a ajuda do ISA (Instituto Socioambiental).

      Agradecemos a todos que nos ajudaram nessa frente. Falar dos povos originários é falar, sobretudo, de ancestralidade e futuro. Se você quer saber mais sobre como apoiar a preservação cultural desses povos em um momento tão delicado, reunimos algumas campanhas importantes, ó:

      Yawanawa, Munduruku, Boe Bororo, Baixo Tapajós e Guarani Kaiowa. Além disso, o ISA fez um compilado de mais projetos e vakinhas interessantes e urgentes pra você conhecer e apoiar. Clica aqui!

      29.07.20