• Tire suas dúvidas sobre pedidos, trocas e devoluções.
    Atendimento nos dias úteis das 9h as 18h.
  • Receba dicas de estilo, via Whatsapp, para realizar uma compra personalizada!

sua mochila está vazia

    • granola do bem

      bola_good_karma

      Elas se conheceram através de viagens com os respectivos namorados, amigos inseparáveis. A carioca, Marina, trazia na bagagem um diploma em geografia e yoga ayurveda. A sueca, Lina, o amor pela cozinha que herdou da familia – cresceu vendo os pais colocando a mão na massa.

      2

      Marina, vegetariana, passou uma temporada viajando pela Austrália, Thailandia, Ibiza, Piracanga… Trabalhando em retiros de Yoga, ora dando aula, ora bolando e preparando receitas. Lina, por sua vez, fincou raízes (e o coração) no Rio, e se enveredou pela culinária saudável há alguns anos, depois de ler um livro que ‘mudou sua vida’.

      3

      Quando se encontraram, em março, Marina fazia pães com uma amiga e Lina estava começando a fazer granola em carreira solo. Aventureiras de alma e cozinha, a dupla não pensou duas vezes em apostar as fichas numa nova experiência: a Good Karma Granola.

      4

      Criaram quatro sabores básicos: coco; baunilha cramberry e banana; sem glúten; e salgada – todas orgânicos, mas a ideia é elaborar uma edição especial a cada estação. São tão gostosas… Dica: a salgada na tapioca de queijo fica top!

      5

      A proposta é ser mais do que um produto sem conservantes, mas contribuir pra criação de um estilo de vida mais saudável em todos os sentidos – físico, mental e espiritual. A partir daí, começaram a promover encontros de yoga, de medicina intuitiva, música… Tudo pra inserir a granola nesse contexto trifásico.

      6

      Começaram a vender pra amigos, amigos de amigos, participaram de feiras – Junta Local, Carioquíssima, (rolou até um da Junta com a gente na semana passada) – e criaram um site, onde vendem Brasil afora.

      7

      fotos: Luiza Chataignier

      Pra tudo, elas seguem a intuição, não têm nada muito planejado. A ideia é criar sem pensar se sabem fazer ou se vai dar certo, confiando no processo: “Aprendi em Piracanga que é no caminhar que aprendemos e que evoluímos. O importante é agir a partir do bem e sempre aprender com as oportunidades e desafios que a vida nos propõe. Desde que cheguei ao Rio, sinto que o importante é me expressar e tudo isso expressa quem eu sou…”, falou e disse (muito bem) a Marina.

      Tem como ser mais do bem que isso? ♥

      20.07.15