• Tire suas dúvidas sobre pedidos, trocas e devoluções.
    Atendimento nos dias úteis das 9h as 18h.
  • Receba dicas de estilo, via Whatsapp, para realizar uma compra personalizada!

sua mochila está vazia

    • FARM visita: Espírito Santa

      Num domingo à noite fomos visitar o “Espírito Santa”, já tradicional restaurante de comida do Norte em Santa em Teresa. A casa foi criada pela Natacha, jornalista de Manaus que, aos 30 anos, depois de participar de uma série pra TV Cultura e de ter aprofundado ali sua conexão com a cultura local, veio para o Rio de Janeiro em busca de autoconhecimento, de resposta e de…
      Bom, o papo foi longo.  

      A família da Nat já estava no Rio quando ela chegou aqui, em 97, super amazonense. Resolveu estudar gastronomia, que era uma paixão, e trazer a cultura gastronômica do norte pra cá. Nessa época, o Espírito Santa já existia – não como restaurante. Era coordenado por dois sócios, um carioca e um nova iorquino e ao compra-lo (coisa do destino?) veio também a surpresa: a Nat e o nova iorquino se apaixonaram <3 e estão juntos até hoje.

      O Espírito Santa, de lá pra cá, foi ganhando forma, sentido e sentimento. É uma casa viva. Tem uma varanda com cara familiar e, ao mesmo tempo, uma sala descolada cheia de intervenção de artistas como Carlos Vergara.  E a Nat, que é a chefe e cria todos os pratos (to-dos) faz questão de estar próxima de todo mundo… É esse o senso de comunicado que ela herdou do Norte que encontra em Santa:

      “Percebemos que precisávamos nos unir; nós, organizadores de Santa. Mudamos o sistema de coletiva seletiva, algumas empresas já aderiram ao movimento lixo 0, por exemplo. O que sempre quis manter aqui foi a informalidade, que é muito do bairro.  E não transformar o restaurante em um lugar de comida típica, então como fazer isso, mas sem perder a legitimidade?”

      O caminho, assim como a gente acredita, é olhando pra dentro. A mãe da Nat nasceu em Manaus e a avó materna era Peruana. A avó paterna era cabocla e cozinhava com todas as mulheres da região. O “Espírito Santa” traz essas referências caseiras e tudo é feito na hora:

      "Elaboro muito os pratos intelectualmente. A inspiração para criar um prato vem da leitura. Quando vou renovar o cardápio do restaurante, como um romance… A leitura me limpa e me entra em outra realidade com uma série de conexões. Também é muito bom conhecer novos produtos, saber o que está sendo produzido na Amazonia, o que está disponível no mercado…"

      A gente experimentou os pratos "Descansadinho" e "Croquetes de Tapioca", além de sucos da região. O mais legal é a essência que pulsa entre um papo e outro está em cada canto e em cada sabor. A Amazônia está presente na consciência ambiental, nas viagens constantes de ida à terra natal, no amor… 

      E o convite tá feito: anima conhecer o restaurante pessoalmente? 

      Fica em Santa Teresa, Rio de Janeiro e os detalhes estão aqui. É pra ir e querer repeteco antes mesmo de ir embora! 

      27.09.17