• Tire suas dúvidas sobre pedidos, trocas e devoluções.
    Atendimento nos dias úteis das 9h as 18h.
  • Receba dicas de estilo, via Whatsapp, para realizar uma compra personalizada!

sua mochila está vazia

    • farm entrevista: alander espécie

      bola_alander

      Hoje é dia de conhecer mais um pouco do trabalho de um artista que a gente adora e vai inaugurar mostra imperdível amanhã. Com vocês, Alander Espécie!

      alander1

      Conta um pouco da sua trajetória como artista?

      Minha formação foi em moda na UCAM, em 2001, sou formado em Moda. Mas depois de 3 anos lutando pelos sonhos de ser estilista de uma grande empresa e aprender sobre o macramê, decidi fazer uma viagem pro Sana. Chegando lá encontrei com 4 uruguaios que logo de cara simpatizaram comigo e dominavam o macramê. Foi aí que tive a coragem de pedir pra um deles me ensinar algo que vinha buscando espiritualmente sem saber o porquê. Aprendi e depois tive a certeza de que era capaz de fazer o que eu quisesse, só dependeria do meu querer e da minha dedicação.

      alander2

      Voltei pro mercado de varejo de moda dominando a técnica e tive a oportunidade de assinar uma coleção pra Reserva no SPFW outono-inverno 2009, fiz alguns desenvolvimentos pra marcas femininas, como Shop 126, Q-guai, Patricia Vieira e Gilson Martins. Meus últimos trabalhos na moda foram na Bintang como coordenador de estilo e depois o na HOMEGROWN como fornecimento e estilo, além de ser um colaborador direto da marca.

      alander8

      Minha trajetória na arte é bem recente, já participei de diversos coletivos e ações. Ano passado ganhei um prêmio muito legal do Salão de Design com o balanço bilanx, que foi uma surpresa para mim! Acredito que handmade é o futuro. (OBS: a gente falou do bilanx aqui, lembra? E a foto aí de cima é o Alander fazendo a intervenção no muro da nossa Casa de Verão.)

      alander6

      Por que você escolheu o macramê como técnica principal?

      No mesmo dia em que aprendi essa técnica ancestral de tecelagem manual, tive a certeza de que era com a mesma que iria um dia ser o meu trabalho principal.

      Onde busca inspiração pra sua arte?

      Minha inspiração com certeza é o cotidiano, minha família, meus amigos, a vida, o universo e todos outros artistas e artesões que usam suas próprias mãos e vivem da arte.

      alander5

      Como o Rio influencia seu trabalho? 

      Com certeza toda influência que recebo do Rio vem da natureza, das ruas e da sua beleza natural sem contar a cultura riquíssima de todas as favelas e Morros. Toda essa diversidade me influencia o tempo todo, da hora que acordo até dormir. Estou de olho em tudo, nada passa despercebido! Quase todas as cores e pantones que uso têm como referência natureza, insetos, animais, assim como tudo que está na rua.

      Por onde você anda por aqui?

      Moro no Humaitá e os lugares onde intervenho ou ocupo são aleatórios, não existe uma regra pra isso e nem um local definido, tudo depende do momento ou do suporte a ser trabalhado. Posso estar onde eu quiser, meu trabalho é muito livre e sou eu quem determino onde estarei sempre.

      alander3

      Quais outros nomes da arte brasileira contemporânea você admira?

      Fernando De La Rocque, Maria Nepomuceno e Mozart Guerra.

      alander4

      E amanhã é dia de ir ver a mostra Herdeiro de Tradição – objetos do cotidiano: Ícones do Design, que entra em cartaz no Museu Histórico Nacional. Com curadoria do designer Zanini de Zanine e do entusiasta Marcelo Vasconcellos, ela apresenta 5 peças inéditas feitas com cadeiras assinadas por Michael Thonet, Joaquim Tenreiro, Flavio Carvalho, Zanini Caldas e Sergio Rodrigues.

      Nos vemos lá?

      19.03.14